“O pêndulo entre a filosofia fundacionista e a cultura literária: uma interpretação da filosofia de Richard Rorty a partir da teoria poética de Harold Bloom” – Heraldo Aparecido Silva

RESUMO: O objetivo da tese é analisar a filosofia de Richard Rorty a partir da teoria poética de Harold Bloom. Na avaliação de Rorty, a Filosofia como atividade fundacionista deve ser substituída pela filosofia como atividade literária. Assim, tanto a epistemologia de tipo cartesiano quanto a filosofia analítica, compreendidas como atividades de fundamentação e legitimação do conhecimento, tenderiam ao desaparecimento e seriam substituídas pela conversação, compreendida como uma atividade dialógica livre e transcultural. Mostro que a redescrição, o principal expediente usado por Rorty ao tratar da filosofia, do pragmatismo e da cultura, pode ser interpretada como desleitura, um recurso literário revisionista que implica em apropriação (revisão), distorção (desvio) e correção (redirecionamento). Nessa perspectiva, primeiramente, são analisadas as relações entre o pragmatismo americano clássico de Peirce, James e Dewey, o neopragmatismo de Rorty e a interpretação de Bernstein que concebe a tradição pragmatista como narrativas em conflito. Em seguida, são analisadas as linhas gerais da filosofia de Rorty: a distinção entre filosofia sistemática e edificante, sua estratégia retórica de deslocamento dos problemas metafísicos e epistemológicos para o campo político, cultural e moral, sua utilização das noções de metáfora e sabedoria da incerteza e, ainda, sua multifacetada abordagem conceitual. Posteriormente, são analisadas sua utópica sociedade liberal democrática e sua tese fatalista de ascensão da Cultura Literária. Comparo as idéias de Bloom e Rorty e interpreto sua filosofia à luz da teoria poética. Defendo que a filosofia praticada por Rorty pode tanto personificar um pêndulo que oscila da crítica ao passado às projeções futuras quanto pode ser abrangida por ele. Finalmente, retomo sinteticamente a trajetória percorrida na tese e proponho que diante da impossibilidade de determinar com exatidão o desfecho da jornada do neopragmatista, é possível entrever uma encruzilhada entre os caminhos de Bloom e Rorty e, o resultado dessa conversação entre a filosofia rortyana e a crítica literária bloominiana, denomino de filosofia como conversação literária.

Palavras-chave: filosofia de Rorty, pragmatismo, redescrição, desleitura, teoria poética de Bloom, cultura literária.


ABSTRACT: The objective of this thesis is to analyze the philosophy of Richard Rorty through the poetic theories of Harold Bloom. In the evaluation of Rorty, philosophy as a foundationalist activity must be substituted by philosophy as a literary activity. As such, the Cartesian epistemology as well as analytical philosophy, understood as fundamentals and legitimacy of knowledge, will tend to lead to their disappearance and will be substituted by conversation, understood as a free, trans-cultural dialogue. It is shown that redescription, the primary means by which Rorty addresses philosophy, pragmatism and culture, can be interpreted as misreading, a revisionist literary tool that implicates appropriation (revision), distortion (deviation), and correction (redirection). Through this perspective, primarily, the relationships between the classic American pragmatism of Peirce, James and Dewey, the neopragmatism of Rorty and the interpretation of Bernstein that conceives the pragmatist tradition as narratives of conflict are each analyzed and discussed.   Subsequently, the general lines of Rorty’s philosophy is analyzed: the distinction between systematic philosophy and edification, its rhetorical strategy of metaphysical and epistological problem shifting within the political, cultural and moral fields, its usage of the notions of metaphor and knowledge of the uncertain and even its multifaceted conceptual discussion. Afterwards, the utopial concept of social liberal democracy is studied along with their fatalistic theory of Cultural Literary ascension. The ideas of Bloom and Rorty are compared and their philosophies are interpreted in light of poetic theory. The study sets out to defend that the philosophy practiced by Rorty can as easily personify an oscillating pendulum of criticism of past to predictions of the future as it can be encompassed by it. Finally, I resume the synthetic trajectory followed in this thesis and propose that in light of the impossibility of determining exactly the outcome of the neopragmatic journey, it is possible to get a glimpse of a crossroad between the paths of Bloom and Rorty. The result of this conversion between the Rortyan philosophy and the Bloomian literary criticism, denominates philosophy as a literary conversion.

Key Words: Philosophy of Rorty, pragmatism, redescription, misreading, poetic theory of Bloom, literary culture.


SILVA, Heraldo Aparecido. O pêndulo entre a filosofia fundacionista e a cultura literária: uma interpretação da filosofia de Richard Rorty a partir da teoria poética de Harold Bloom. 2008. 180f. Tese (Doutorado em Filosofia) – Programa de Pós-Graduação em Filosofia, Universidade Federal de São Carlos – São Carlos. [PDF]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s