“Morra Antes de Morrer” – Alan WATTS

O grande sim é o sim à morte. É possível proferi-lo de várias maneiras…

CIORAN, A Tentação de existir

Citações e trechos do livro “The Essence of Alan Watts”.

Alan Wilson Watts (1915 – 1973) foi um filósofo britânico, escritor, palestrante e um dos pioneiros na divulgação da sabedoria oriental ao ocidente.

Baseando-se em uma grande variedade de tradições (como a filosofia chinesa, o hinduísmo, o budismo, o taoísmo e a ciência moderna) Watts sintetiza os principais ensinamentos que permitem o indivíduo a encontrar-se com sua profunda natureza.

Com grande lucidez de pensamento e simplicidade na linguagem, Watts apresenta respostas ao mal-entendido fundamental, o mistério central da existência, a realidade sobre quem somos nós. Como um grande intérprete das disciplinas orientais, Watts difundiu que nossa concepção sobre nós mesmos é um mito; sendo as entidades que chamamos de “coisas separadas” meramente aspectos ou características de uma mesma unidade.


“Acordar para quem você é requer desapego de quem você imagina ser”.
Alan Watts.

“Então… Não existe absolutamente nada de errado em estar doente ou morrendo.
Quem disse que você precisa sobreviver?
Quem te deu a ideia de que é necessário continuar sempre em frente?
Nós não podemos dizer que é uma boa ideia que tudo sobreviva… porque se permitíssemos que todos vivessem para sempre, nós enfrentaríamos uma superpopulação.
Então de alguma forma, morrer é um ato honrável, pois dá lugar a outros.
Nós podemos observar mais detalhes sobre isso e perceber que se pudéssemos adiar nossa morte indefinidamente… Nós não continuaríamos a adiá-la para sempre.
Porque depois de um certo ponto nós perceberíamos, que esta não é a forma na qual gostaríamos de sobreviver… Por qual outro motivo teríamos filhos?
Porque as crianças nos permitem sobreviver de uma outra forma. Como se estivéssemos passando a tocha, para que você não tenha que carrega-la o tempo todo. Chega um momento em que você pode se entregar. E dizer: Agora é a sua vez!
É um arranjo muito mais interessante para a Natureza… Continuar o processo da Vida, através de indivíduos diferentes, ao invés de ser sempre o mesmo indivíduo. Porque com cada novo indivíduo que ganha Vida, a Vida é renovada.
E então, relembra o quão fascinante são as coisas do dia-a-dia para uma criança. Porque elas não enxergam tudo sob a ótica da sobrevivência e do lucro. Quando começamos a pensar em tudo sob a ótica da sobrevivência e do lucro, como fazemos, as formas dos arranhões no chão deixam de conter magia. A maioria das coisas, na verdade, perdem a magia.
Então, no curso da Natureza, quando deixamos de ver a magia no mundo, nós não estamos mais fazendo nossa parte no jogo da Natureza de reconhecer a si mesma. Não há mais sentido… e então morremos.
E então algo diferente nasce, com uma perspectiva completamente diferente.
Não é natural para nós, querer prolongar a vida indefinidamente, mas vivemos em uma cultura, onde nos foi dito de todas as formas possíveis que morrer é algo terrível, e isso é uma grande doença da qual sofre nossa cultura”.
Alan Watts.

“Como seria ir dormir e nunca acordar?
A maioria das pessoas razoáveis simplesmente dispensa esse pensamento. Elas dizem, “Você não pode imaginar isso”, dão de ombros e dizem “Vai ser o que vai ser”. Mas eu sou uma dessas pessoas teimosas que não se contentam com uma resposta dessas. Não que eu esteja tentando descobrir algo além, mas eu sou totalmente fascinado pelo que seria ir dormir e nunca mais acordar.
No mundo oriental, existem diferentes ideias sobre isso. A principal ideia oriental é geralmente conhecida como reencarnação, atravessar uma vida após uma vida em uma série interminável.
A coisa mais fascinante sobre isso, é que a morte não é o fim da consciência.
Em outras palavras, estamos iludidos por uma espécie de fantasia. Se você acha que a morte é como a escuridão sem fim, o nada sem fim, isso é o nada inconcebível, porque não somos capazes de ter alguma ideia e muito menos a sensação do nada, a menos que isso possa ser comparado a sensação de alguma coisa. Essas duas coisas andam juntas.
O que quer dizer, que o vazio criado pelo desaparecimento de um ser, pelo desaparecimento de seu sistema de memória, seria simplesmente preenchido por outro ser”.
Alan Watts.

Músicas: Heart Abandoned
(https://elements.envato.com/pt-br/hea…)

Chris Collins – Infinite Calm
(https://youtu.be/db8YBUhKKMs)

Publicidade

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s