“Poesia, tempo e história na obra de Octavio Paz” – Ival de Assis CRIPA

Revista Metalinguagens, v. 1, n. 2 (2014)

RESUMO: Segundo Roger Chartier, no final do século XX, a crise dos paradigmas da historiografia oficial e seu culto ao progresso abriram um espaço representativo para o estudo da literatura como fonte histórica. Tal atitude exigiu uma atenção maior dos historiadores sobre as relações entre história e narrativa. O artigo analisa um gênero híbrido situado entre a literatura e a história: os ensaios críticos sobre a história literária e sobre a crise da modernidade na obra do poeta mexicano. Os escritos de Octavio Paz transitam nas fronteiras da literatura e da história. O artigo traça algumas relações entre os escritos de Octavio Paz sobre a história e sobre a literatura e as ideias de Roger Chartier, Giorgio Agamben e Jacques Rancière. O artigo demonstra, ainda, como o poeta e ensaísta mexicano, ao refletir sobre a crise social e política do mundo moderno, no ensaio La Otra Voz, se afasta das concepções pós-modernas sobre a história.

PALAVRAS-CHAVE: Poética moderna. História literária. Narrativas. Temporalidades, Representações sobre a modernidade e a “pós-modernidade”

[PDF]

Publicidade

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s