“A História como ontologia do mundo: Luciano de Samósata entre a derrisão e a austeridade” – Cleber Ranieri Ribas de ALMEIDA

Revista Estudos Hum(e)anos, nr. 0, 2010/01

Resumo: O filósofo cínico Luciano de Samósata foi, dentre os autores da antiguidade clássica, aquele que mais influiu para a formação do cânone literário que constitui clara tradição filosófica e ficcional na modernidade, a denominada “tradição luciânica”. Escritores como Erasmus de Roterdan (Elogio da Loucura), Rabelais (Pantagruel), Swift (Viagens de Gulliver), Voltaire (Micrômegas), Quevedo (O Gatuno), Thomas Morus (Utopia) e Machado de Assis (Memórias Póstumas de Brás Cubas) foram assumidamente influenciados pela tradição da sátira menipéia luciânica, e fizeram amplo uso de vários recursos discursivos e estilísticos criados ou disseminados pelo filósofo. O corpus lucianeum constitui um dos maiores legados dos antigos à posteridade e, através dele, temos acesso a um conjunto de textos que se valem da derrisão como instrumento da criação e da crítica filosófica.

Palavras-chave: Luciano de Samósata, Cínico, Literatura

Abstract: The cynic philosopher Lucian of Samosata was, among the authors of classic antiquity, the one that most influenced the formation of the literary canon that clearly that constitutes a philosophical tradition in the fiction of modern times called “Lucianic tradition”. Writers such as Erasmus of Rotterdam (The Praise of Folly), Rabelais (Pantagruel), Swift (Gulliver’s Travels), Voltaire (Micromegas), Quevedo (The Thief), Thomas Morus (Utopia) and Machado de Assis (Posthumous Memoirs of Bras Cubas) were admittedly influenced by the tradition of menippean Lucianic satire and made extensive use of various discursive and stylistic resources created or disseminated by the philosopher. The Lucianeum corpus is one of the greatest legacies for the posterity; through him we have access to a set of texts that use the derision as an instrument of creation and philosophical criticism.

Key words: Lucian of Samosata, Cynic, Literature

[PDF]


A Revista Estudos Hum(e)anos é uma publicação semestral do Laboratório de Estudos Hum(e)anos e do Grupo Hume (UFMG/CNPq). A revista recebe artigos, ensaios, resenhas e traduções que tenham como objeto principal ou acessório a filosofia de David Hume, bem como estudos comparativos entre a filosofia de Hume e a de outros autores, ou que estabeleçam análises humeanas de fenômenos de interesse público.

Publicidade

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s