“Degeneração como estrutura do discurso racista” – Fabio CIRACÌ (UNISALENTO)

Entartung: degeneração como estrutura do discurso racista por Fabio Ciracì

Existe hoje uma copiosa literatura histórica sobre o racismo, especialmente em inglês e francês, que é seguida por uma literatura cada vez maior em espanhol e português. Para falar de racismo é preciso antes de tudo entender o que ele é, como é possível reconhecê-lo, ou seja, se o racismo é um fenômeno ligado à natureza do homem ou histórico-cultural, se é possível identificá-lo reconhecendo suas características estruturais constantes ou se é um fenômeno ideológico e social que se transmuta ao longo do tempo, etc.

Partimos, portanto, de uma definição geral de racismo, que traz consigo uma proposta teórica básica, a fim de fornecer algumas ferramentas conceituais que permitam identificar e explicar o fenômeno da melhor maneira possível. Pretendo definir o racismo como uma forma histórico-ideológica particular de discriminação, implícita ou explícita, contra uma classe de indivíduos majoritariamente identificados com a raça. Vamos tentar explicar a definição e em particular a expressão sibilina “principalmente”. O conceito de raça e de ideologia racista estão intimamente ligados um ao outro.


CONTEÚDO RELACIONADO: