Fome é normal | Meteoro Brasil

Carcaça de frango, osso de boi e mistura alimentícia sabor queijo: os mercados estão se adaptando à pobreza do brasileiro enquanto os telejornais normalizam a miséria.

“Tem algumas medidas que chamamos de coisas pontuais, que acabam ocorrendo em determinadas lojas ou em determinadas regiões, muitas vezes para atender e até uma forma criativa de mostrar alternativas, vamos dizer assim, para aquele consumidor que eventualmente está procurando algo um pouco diferente.” (sic)

Marcio Milan, vice-presidente da Associação Brasileira de Supermercados (Abras)

Quando a pessoa não tem uma boa explicação, e em vez disso precisa dar uma desculpa esfarrapada, chega até a emular a linguagem falada (“vamos dizer assim”), essa fala cheia de curva, esquiva, típica de quem não dá o “papo reto”. A declaração é de uma desfaçatez tão escancarada que chega a ser ingênua (além de insultuosa com a inteligência do consumidor). Ela está concorrendo com a declaração do representante de uma cadeia de fast-food que havia sido proibida de vender um sanduíche com sabor artificial de aroma de costelinha como se a costelinha fosse de fato um ingrediente do sanduíche. Falar em “medidas pontuais” não rima com “ocorrem em determinadas lojas ou regiões” (o que só pode soar como uma intempérie, um desastre natural, alagamento ou falta de água, por exemplo). O clímax da declaração (de uma pobreza retórica pungente, se não insultuosa) é a justificativa da “forma criativa de mostrar alternativas, vamos dizer assim, para aquele consumidor que eventualmente está procurando algo um pouco diferente.” Algo diferente, tipo na imagem abaixo?


É isto um homem?

Garimpo contra a fome: sem comida, moradores do Rio recorrem a restos de ossos e carne rejeitados por supermercados

Saiba mais:

  • “Carcaça de frango, osso de boi e mistura alimentícia sabor queijo: os mercados estão se adaptando à pobreza do brasileiro enquanto os telejornais normalizam a miséria” (Folha de S. Paulo, 21 de setembro de 2021)
  • “Consumo de pé de galinha em alta e outros 5 dados que revelam retrato da fome no Brasil” (BBC Brasil, 11 de outubro de 2021)
  • “A fome que choca o Brasil” (Fundação Perseu Abramo, 25/31 de outubro de 2021)
  • “Fome avança no Brasil em 2022 e atinge 33,1 milhões de pessoas” (Oxfam, 8 de junho de 2022)
  • Venda de sobras é ‘forma criativa de mostrar alternativas’, diz associação de supermercados (Gazeta de S. Paulo, 15 de julho de 2022)

CONTEÚDO RELACIONADO: