Escritor Salman Rushdie é operado após ser esfaqueado no pescoço em NY | Portal E. M. Cioran News

Autor sofreu atentado em na manhã desta sexta-feira e foi levado às pressas, de helicóptero, para hospital

O escritor anglo-indiano Salman Rushdie, de 75 anos, está passando por cirurgia após ter sido esfaqueado no pescoço, na manhã desta sexta-feira, por um homem não identificado durante um evento em Nova York.

Seu estado de saúde ainda não foi confirmado. Rushdie foi levado de helicóptero para um hospital local após o ataque, disse a polícia estadual.

O ataque, que fez estremecer o mundo literário, aconteceu hoje por volta das 11h da manhã, pouco depois de Rushdie subir ao palco para dar uma palestra numa instituição beneficente.

Não é primeira vez que Rushdie sofre um atentado. A perseguição ao escritor remonta ao ano de 1988, quando publicou Os Versos Satânicos, romance de fantasia que foi considerado ofensivo ao profeta Maomé e ao islamismo.

O aiatolá Khomeini, então líder iraniano, passou a pedir publicamente o assassinato do escritor. A perseguição foi mantida em vigor pelas mais altas autoridades religiosas do país em 2005.

A primeira tentativa de assassinar Rushdie foi em 1989. Um terrorista preparou um livro-bomba que seria entregue a Rushdie, num hotel em Londres. A bomba acabou explodindo antes do planejado, matando o autor do atentado. Instant karma!

A recompensa pela cabeça de Rushdie era de US$ 2,5 milhões em 1997. O valor subiu para mais de US$ 3,3 milhões em 2012. Em 2016, até meios de comunicação estatais do Irã se reuniram para arrecadar mais US$ 600 mil na recompensa pela morte do escritor.


Em 2017, Salman Rushdie fez uma participação especial, interpretando ele mesmo, na nona temporada da série de humor Curb Your Enthusiasm, protagonizada por Larry David. No enredo, David produz um musical na Broadway, intitulado Fatwa, sobre a vida de Rushdie (interpretado por Lin-Manuel Miranda). Desesperado ao descobrir que recebeu uma sentença de morte (Fatwa) das autoridades iranianas, igual a Rushdie, David vai ao encontro do escritor, em busca de conselhos sobre o que fazer. Com medo de ser assassinado, passa a andar à paisana, de peruca e bigode.


As religiões, como as ideologias, que herdaram seus vícios, são cruzadas contra o humor.

“Deus não criou nada que odeie tanto como este mundo, e tanto o odeia que desde quando o criou não tornou a olhá-lo”. Não sei quem foi o místico muçulmano que disse isso, ignorarei para sempre o nome desse amigo.

CIORAN