Deputada bolsominion, ex-Femen, saca arma e ameaça executar homem negro em bairro nobre de SP | Portal E.M. Cioran News

Bang-bang à brasileira. A deputada (ex-Femen) Carla Zambelli, aliada do Miliciano Genocida, perseguiu, empunhando uma pistola, um homem negro desarmado pelas ruas de um bairro nobre de São Paulo, na tarde deste sábado (29/10). Tudo começou quando Luan Araújo, de 32 anos, avistou Zambelli na rua e passou provocando o grupo de bolsominions com quem ela estava. “Amanhã é Lula, papai”, brincou ele, fazendo um L com os dedos polegar e indicador. Luan passou a xingar e insultar os bolsominions, dizendo a eles o que muitos teriam vontade de dizer, a plenos pulmões, se apenas tivessem a oportunidade: “Vocês vão voltar para o bueiro de onde nunca deveriam ter saído, seus filhos da p***a!”.

A deputada pistoleira saiu do sério quando Luan lhe disse, ao ir embora: “Te amo, espanhola”, em alusão ao boato (disseminado pelo presidente que ela apoia) de que a deputada teria sido prostituta na Espanha em sua vida pregressa. Em seguida, Zambelli cai de madura, no meio dos seus amigos bolsominions, então se levanta e começa a correr atrás de Luan.

A ocorrência se deu na esquina da rua Joaquim Eugênio de Lima com a alameda Lorena, no bairro dos Jardins. Um dos vídeos que circula nas redes sociais mostra Zambelli cercada por bolsominions, ao lado de um carro estacionado. É mentira que Luan Araújo tenha agredido a deputada ou que tenha tido o mínimo contato físico com ela. No momento da queda, pode-se ver que Luan está visivelmente longe do grupo. Zambelli tenta agarrá-lo, mas se desequilibra e cai pateticamente. Ela se levanta e, então, junto com outro homem também armado, começa a correr atrás de Luan, que foge deles, temendo pela sua vida. É possível ouvir disparos durante a perseguição, mas não é possível precisar em que direção foram feitos.

A deputada federal e ex-Femen Carla Zambelli foi filmada apontando uma arma para um homem no meio da rua, em São Paulo. Ela corre atrás dele e entra em um bar cheio com uma pistola empunhada.

Luan busca proteção dentro de um bar e, em seguida, a bolsominion entra neste mesmo bar, de arma em punho, ordenando que o jornalista deite no chão e lhe dando voz de prisão. Em seguida, ela exige que ele lhe peça desculpas, mas Luan se recusa. Cumpre notar que é crime portar arma de fogo nas 24h que antecedem as eleições. Testemunhas locais tentam conter e acalmar a deputada armada. É possível ainda ouvir a voz do rapaz, temendo pela própria vida: “Ela quer me matar, mano”. Por mais que se sentisse no direito de debater com os bolsominions e de ofendê-los, Luan Araújo correu um enorme perigo sem sequer suspeitar, durante a discussão, que não só a deputada estava armada, mas também os seus capangas (de onde a calma inusual deles). Por isso, não é aconselhável, por mais que seja desejável, sair por aí provocando bolsominions na rua. No Brasil atual, deve-se suspeitar de que todo mundo anda armado, até a certeza do contrário. Nunca se sabe quando se vai topar com um psicopata armado e disposto a matar para provar a sua virilidade (em nome de “Deus, pátria e família”).

Populares foram até o local onde estava a deputada federal Carla Zambelli e seus capangas para protestar:

METEORO BRASIL – Carla Zambelli protagonizou mais um desses episódios que ilustram bem a profundidade do fosso civilizatório em que o Brasil se enfiou. A campanha de Bolsonaro já cogita fingir que não a conhece.

“Após o ocorrido, Zambelli diz ter atirado para o alto após ter sido xingada por lulista” (Folha de S. Paulo, 29 de outubro de 2022). O Miliciano Genocida facilitou o acesso à arma para maluco. Carla Zambelli é prova disso. Basta ser xingada para sair dando tiro pro alto, no meio de um bairro residencial (!). Completamente descompensada. Zambelli saiu do Femen, mas o Femen nunca saiu dela.


CONTEÚDO RELACIONADO: