“A religião dinâmica” – Henri BERGSON

Lancemos um olhar retrospectivo sobre a vida, cujo desenvolvimento acompanhamos noutra ocasião até o ponto em que a religião dela devia sair. Grande fluxo de energia criadora lança-se na matéria para obter dela o que pode. Na maior parte dos pontos ele se deteve; essas pausas se traduzem ao nosso ver por outros tantos aparecimentos… Continue lendo “A religião dinâmica” – Henri BERGSON

“Misticismo cristão” – Henri BERGSON

O misticismo completo é, com efeito, os dos grandes místicos cristãos. Deixemos de lado, por ora, o seu cristianismo, e consideremos neles a forma sem matéria. Não é dubitável que em maioria tenham passado por estados que se assemelham aos diversos pontos de chegada do misticismo antigo. Mas eles apenas passaram: encurvando-se sobre si mesmos… Continue lendo “Misticismo cristão” – Henri BERGSON

“O Suplício (II)” – Georges BATAILLE

Derrisão! que me digam panteísta, ateu, teísta!… Mas grito ao céu: “não sei nada”. E repito com uma voz cômica (grito ao céu, às vezes, deste jeito): “nada, absolutamente”. O extremo do possível. – No final, aí estamos. Mas tão tarde?… Como, sem o saber, chegamos aí? (em verdade, nada mudou) por um desvio: um… Continue lendo “O Suplício (II)” – Georges BATAILLE

“O Suplício (I)” – Georges BATAILLE

Há nas coisas divinas uma transparência tão grande que escorregamos para o fundo iluminado do riso mesmo a partir de intenções opacas. Vivo de experiência sensível e não de explicação lógica. Tenho do divino uma experiência tão maluca que rirão de mim se falar dela. Entro num beco sem saída. Nele, toda possibilidade se esgota,… Continue lendo “O Suplício (I)” – Georges BATAILLE

“N. Cavaillès, B. Scapolo, Cioran et Valéry. L’attention soutenue” – Fabio SCOTTO

Studi Francesi - Rivista quadrimestrale fondata da Franco Simone, 183 (LXI | III) | 2017. Rassegna Bibliografica - Novecento e XXI secolo.Notizia bibliografica: Nicolas Cavaillès, Barbara Scapolo, Cioran et Valéry. L’attention soutenue, Paris, Classiques Garnier, 2016, «Perspectives comparatistes» 42, 189 pp. Questo singolare volume a quattro mani nasce dall’incontro fra due autorevoli specialisti, al primo dei quali si deve, tra l’altro, la… Continue lendo “N. Cavaillès, B. Scapolo, Cioran et Valéry. L’attention soutenue” – Fabio SCOTTO

“Le Moribond” – Jacques BREL [legendas PT]

Jacques Romain Georges Brel (Schaerbeek, 8 de Abril de 1929 — Bobigny, 9 de Outubro de 1978) foi um cantautor belga. Além de cantar, também atuou no teatro e no cinema francês. Tornou-se internacionalmente conhecido pela música Ne me quitte pas. https://www.youtube.com/watch?v=j56jRGkZwOI Adieu l’Émile, je t’aimais bienAdieu l’Émile, je t’aimais bien, tu saisOn a chanté… Continue lendo “Le Moribond” – Jacques BREL [legendas PT]

Conférence-débat avec Peter Sloterdijk : “Nach Gott – Après Dieu”

https://www.youtube.com/watch?v=JADpqX2m9K0 Le 28 novembre 2017, à la Maison Heinrich Heine Conférence-débat avec Peter Sloterdijk et Manfred Osten

“Cioran: désespoir, mode d’emploi” – Magazine Littéraire [PDF]

"Cioran - desespero, instruções de uso". A revista francesa Magazine Littéraire dedicou o seu número de de maio de 2011 a Emil Cioran, no centenário do seu nascimento. O dossiê, organizado por Maxime Rovere, intitulado Cioran - désespoir, mode d'emploi, apresenta diversos artigos sobre o filósofo romeno radicado na França. [PDF] Entre os autores relacionados,… Continue lendo “Cioran: désespoir, mode d’emploi” – Magazine Littéraire [PDF]

Vacances d’été à Ibiza avec le philosophe Emil Cioran – Franck Olivar

FranceInter, 18 juin 2021 Que diriez-vous pour vos vacances d’été d’un petit séjour à Ibiza avec pour guide le philosophe roumain Emil Cioran ? Durant l’été 1966, Emil Cioran séjourne à Talamanca, village de l’île où en proie à une crise intense, entre insomnies et émerveillements, il rédige un cahier consignant ses coups de blues… Continue lendo Vacances d’été à Ibiza avec le philosophe Emil Cioran – Franck Olivar

“De Vaugelas a Heidegger” – CIORAN

Eu só comecei a me interessar realmente por Heidegger por volta de 1930, quando era estudante na Universidade de Bucareste. Sein und Zeit e especialmente Was ist Metaphysik foram os textos que me atraíram. Dois acontecimentos, um menor, o outro maior, acalmaram minha excitação. Na época, eu havia publicado um artigo sobre Rodin em um… Continue lendo “De Vaugelas a Heidegger” – CIORAN