“Breviário de Decomposição (1949): livro perigoso e essencial” – Rodrigo MENEZES

Ter um Cioran em casa é a antítese de ter uma arma de fogo. No caso de possuir as duas coisas juntas, se o leitor pegasse o livro em vez do revólver, perderia toda motivação de usar o revólver, contra si mesmo ou contra outrem: é um dispositivo de segurança contra tragédias (que se aproveitam… Continue lendo “Breviário de Decomposição (1949): livro perigoso e essencial” – Rodrigo MENEZES

“Eminescu é a desculpa da Romênia”: Cioran fala sobre o grande poeta nacional romeno

Eminescu este scuza României. Breve entrevista com Cioran realizada em Paris, ao final da década de 80, por uma repórter romena, por ocasião de uma peça teatral dedicada a Mihai Eminescu, o grande poeta nacional romeno. https://www.youtube.com/watch?v=FTGA8_6LCao É possível que tenha sido um evento fechado promovido pela Embaixada da Romênia na França (não há notícias… Continue lendo “Eminescu é a desculpa da Romênia”: Cioran fala sobre o grande poeta nacional romeno

On Love – Jacques Derrida (2002)

Jacques Derriva philosophizes about love, making a distinction between the "who", that is the person who is loved as such, and the "what", the particular attributes and aspects that are loved notwithstanding the person as such. https://www.youtube.com/watch?v=A1jv36ErwRM From the documentary Derrida (2002), an American production directed by Kirby Dick and Amy Ziering Kofman. It premiered… Continue lendo On Love – Jacques Derrida (2002)

FILANTROPICA (2002), de Nae Caranfil

Cinema romeno. O filme retrata uma máfia que institui em Bucareste uma mendicância organizada. Pepe é um empresário que profissionaliza os mendigos da capital romena, atribuindo-lhes novas identidades, histórias de vida e especialidades diversas. Ao final do dia, seus empregados passam recolhendo a comissão da organização. Ovidiu, professor de literatura e poeta, ganhando pouco e… Continue lendo FILANTROPICA (2002), de Nae Caranfil

“Emil Cioran y Albert Cossery, entre el dolor y la alegría de existir”: entrevista a Belén Nava VALDÉS | UAEMéx 🇲🇽

Belén Nava Valdés es licenciada en Filosofía y Antropología Social por la Universidad Autónoma del Estado México (UAEMéx). Es profesora de asignatura en el Instituto Politécnico Nacional (IPN). Candidata a Maestra en Ética Social en la Facultad de Humanidades por la UAEMÉX. Autora y colaboradora de diversos publicados en México y en el extranjero. Ponente… Continue lendo “Emil Cioran y Albert Cossery, entre el dolor y la alegría de existir”: entrevista a Belén Nava VALDÉS | UAEMéx 🇲🇽

“Between Evola and Dugin: Traditionalism in a Romanian Iron Guard Manifesto” – Jason ROBERTS

Nae Ionescu (1890-1940), a Philosophy professor at the University of Bucharest in the inter-war period, and the mastermind of the Iron Guard who co-opted Cioran's young generation of intellectuals (tânăra generaţie of 1927) into the Legionary movement (Ionescu only adhered to the Iron Guard due to a grudge with the king); Julius Evola (1898-1974), an… Continue lendo “Between Evola and Dugin: Traditionalism in a Romanian Iron Guard Manifesto” – Jason ROBERTS

Breviario Pasional [Îndreptar pătimaş] – CIORAN

Hermida Editores, 2022. Trad. de Christian Santacroce Hermida Editores apresenta pela primeira vez em língua espanhola, em tradução direta do romeno, os 70 fragmentos inéditos que compõem a metade que falta do livro, "espécie de "estremecimento" contínuo, de "lirismo desenfreado", que chamaram de Breviário Passional, de acordo com seu nome genuíno. Composto em Paris, entre… Continue lendo Breviario Pasional [Îndreptar pătimaş] – CIORAN

Emil Cioran y María Zambrano: memória de um encontro

Cena do documentário "María Zambrano: la humanista indignada" (1991), transmitido pela emissora espanhola TVE em 2004, por ocasião do centenário de nascimento desta importante filósofa espanhola (1904-1991), discípula de Ortega y Gasset, de quem Cioran quis ser aluno, mas teve seus planos frustrados pela eclosão da Guerra Civil espanhola, a mesma que faria Zambrano exilar-se… Continue lendo Emil Cioran y María Zambrano: memória de um encontro

“Anulação pela libertação” – CIORAN

Uma doutrina da salvação só tem sentido se partirmos da equação existência-sofrimento. Não é nem uma constatação súbita, nem uma série de raciocínio o que nos conduz a esta equação, mas a elaboração inconsciente de todos os nossos instantes, a contribuição de todas as nossas experiências, ínfimas ou capitais. Quando carregamos em nós germes de… Continue lendo “Anulação pela libertação” – CIORAN

“Essa maldita, essa esplêndida Rășinari”: o “paraíso terrestre” da infância de Cioran

Emil Cioran nasceu em 8 de abril de 1911, em Răşinari, pequeno vilarejo dos Cárpatos, uma região montanhosa na Transilvânia. Tecnicamente, ele não nasceu na Romênia. Antes de ser romeno, Cioran é transilvano. A Transilvânia (Ardeal em romeno; Erdely em húngaro) pertencia, à época do seu nascimento, ao Império Austro-húngaro, não fazendo parte do grande… Continue lendo “Essa maldita, essa esplêndida Rășinari”: o “paraíso terrestre” da infância de Cioran