“Contra o fundamentalismo religioso e científico” – John GRAY

Os fundamentalistas religiosos vêem o poder da ciência como a principal fonte do desencanto moderno. A ciência suplantou a religião como fonte de autoridade, mas ao preço de tornar a vida humana acidental e insignificante. Se é para nossas vidas terem algum sentido, o poder da ciência tem de ser derrubado, e a fé restabelecida.… Continue lendo “Contra o fundamentalismo religioso e científico” – John GRAY

“Modernidade/Pós-Modernidade: variações niilistas em torno ao suicídio” – Fernando Rey PUENTE

Na esteira de Schopenhauer, podemos mencionar o pouco conhecido filósofo alemão Phillip Mailânder, que viveu no século XIX e antecipou em muitos aspectos um outro pensador extemporâneo desse século, este, contudo, muito célebre, a saber, Friedrich Nietzsche. Ambos, de certa forma, anunciaram em linhas gerais o que viria a ser a posição dominante no século… Continue lendo “Modernidade/Pós-Modernidade: variações niilistas em torno ao suicídio” – Fernando Rey PUENTE

The Questions of Milinda and the Dangers of Wisdom – CIORAN

If we have laid violent hands on our desires, persecuted and smothered our attachments and our passions, we shall curse those who have encouraged us to do so, first of all the sage within ourselves, our most redoubtable enemy, guilty of having cured us of everything without having rid us of the regret for anything.… Continue lendo The Questions of Milinda and the Dangers of Wisdom – CIORAN

“An Essay On Reactionary Thought”: De Maistre’s divine providentialism vs. Cioran’s atheodicy

Justification by Providence is the quixotism of theology.The adjective satanic, which [De Maistre] applied to the French Revolution he might just as well have extended to all events [...] especially the most important one: the Creation.E. M. CIORAN “Nothing is where it belongs”: the refrain of all emigrations, and also the point of departure for… Continue lendo “An Essay On Reactionary Thought”: De Maistre’s divine providentialism vs. Cioran’s atheodicy

“The Devil Reassured” – CIORAN

Why is God so dull, so feeble, so inadequately picturesque? Why does He lack interest, vigor, actuality and resemble us so little? Is there any image less anthropomorphic and more gratuitously remote? How could we have projected into Him lights so dim and powers so unsteady? Where have our energeis leaked away to, where have… Continue lendo “The Devil Reassured” – CIORAN

Gnose, pessimisme et antinatalisme dans Le Mauvais Démiurge – CIORAN

Timide, dépourvu de dynamisme, le bien est inapte à se communiquer ; le mal, autrement empressé, veut se transmettre, et il y arrive puisqu’il possède le double privilège d’être fascinant et contagieux. Aussi voit-on plus facilement s’étendre, sortir de soi, un dieu mauvais qu’un dieu bon. Cette incapacité de demeurer en soi-même, dont le créateur devait… Continue lendo Gnose, pessimisme et antinatalisme dans Le Mauvais Démiurge – CIORAN

“Wuthering Heights”: o romance gótico que inspirou canções de Kate Bush e Genesis | O Jardim Sonoro

Você acorda do meio de uma noite fria com batidas na sua janela e, quando a abre, há uma mulher com a mão gelada pedindo pra entrar. Seria uma assombração? Essa é a história que inspirou as músicas da Kate Bush e do Genesis, além da poderosa versão do Angra. Conheça essa história macabra retirada… Continue lendo “Wuthering Heights”: o romance gótico que inspirou canções de Kate Bush e Genesis | O Jardim Sonoro

Ceticismo como doença da vontade e a niilina russa – NIETZSCHE

Se hoje um filósofo dá a entender que não é cético —espero que tal se tenha subentendido nessa descrição do espírito objetivo —, todos escutam isso com desgosto; observam-no com algum receio, gostariam de lhe perguntar tantas, tantas coisas… sim, entre ouvintes temerosos, tais como existem hoje em quantidade, ele é doravante considerado perigoso. Para… Continue lendo Ceticismo como doença da vontade e a niilina russa – NIETZSCHE

“The Demiurge” – CIORAN

The Demiurge is the most useful god who ever was.CIORAN, The New Gods (1969) The Demiurge With the exception of some aberrant cases, man does not incline to the good: what god would impel him to do so? Man must vanquish himself, must do himself violence, in order to perform the slightest action untainted by… Continue lendo “The Demiurge” – CIORAN

“E o povo?” – CIORAN

“E o povo?”, perguntarão. O pensador ou o historiador que emprega esta palavra sem ironia se desacredita. O “povo”, sabe-se muito bem a que está destinado: a sofrer os acontecimentos e as fantasias dos governantes, prestando-se a desígnios que o enfraquecem e o oprimem. Toda experiência política, por mais “avançada” que seja, desenrola-se à sua… Continue lendo “E o povo?” – CIORAN