“A Fenomenologia do TĂ©dio no Livro do Desassossego: de Martin Heidegger a Fernando Pessoa” – Gabriela Sofia MARTINS PÓ

Tese apresentada Ă  Universidade de Évora para obtenção do Grau de Doutor em Filosofia, abril de 2015 RESUMO: O tema desta dissertação Ă© o fenĂłmeno do tĂ©dio e a perspetiva que adotamos Ă© a fenomenologia existencial. Pretendemos investigar como Ă© que a fenomenologia do tĂ©dio em Heidegger pode ajudar a compreender a fenomenologia do tĂ©dio… Continue lendo “A Fenomenologia do TĂ©dio no Livro do Desassossego: de Martin Heidegger a Fernando Pessoa” – Gabriela Sofia MARTINS PÓ

“Hans Blumenberg e o real lacaniano” – Ricardo Laleff ILIEFF

FĂłrum Aberto do Programa de PĂłs-graduação em Filosofia da Unicap (Universidade CatĂłlica de Pernambuco). https://www.youtube.com/watch?v=bV3IU8X0b3g Doctor en Ciencias Sociales (UBA), MagĂ­ster en Defensa (UNDEF) y Licenciado en Ciencia PolĂ­tica (UBA). Investigador del CONICET en el Instituto de Investigaciones Gino Germani (IIGG). Docente de grado y posgrado en el ĂĄrea de teorĂ­a polĂ­tica y social. Miembro… Continue lendo “Hans Blumenberg e o real lacaniano” – Ricardo Laleff ILIEFF

Niilismo, Existencialismo e Gnose na Era da Interpretação | Minicurso on-line

Eis por que os MistĂ©rios antigos, pretensas revelaçÔes dos segredos Ășltimos, nĂŁo nos legaram nada em matĂ©ria de conhecimento. Sem dĂșvida, os iniciados estavam obrigados a nĂŁo transmitir nada. No entanto, Ă© inconcebĂ­vel que em tĂŁo grande nĂșmero nĂŁo se tenha encontrado um sĂł tagarela; o que hĂĄ de mais contrĂĄrio Ă  natureza humana que… Continue lendo Niilismo, Existencialismo e Gnose na Era da Interpretação | Minicurso on-line

“Os deicĂ­dios” – CAMUS

A justiça, a razĂŁo, a verdade brilhavam ainda no cĂ©u jacobino; essas estrelas fixas podiam ao menos servir de pontos de referĂȘncia. Os pensadores alemĂŁes do sĂ©culo XIX, particularmente Hegel, quiseram continuar a obra da revolução francesa,1 ao suprimirem as causas de seu malogro. Hegel acreditou discernir que o Terror estava de antemĂŁo contido na… Continue lendo “Os deicĂ­dios” – CAMUS

“To the Nothingnesses Themselves: Husserl’s Influence on Sartre’s Notion of Nothingness” – Simon GUSMAN

Taylor & Francis Online, 16 October, 2017 ABSTRACT: In this article I argue that Sartre’s notions of nothingness and “negatity” are not, as he presents it, primarily reactions to Hegel and Heidegger. Instead, they are a reaction to an ongoing struggle with Husserl’s notion of intentionality and related notions. I do this by comparing the… Continue lendo “To the Nothingnesses Themselves: Husserl’s Influence on Sartre’s Notion of Nothingness” – Simon GUSMAN