“Da Sensação de Elasticidade Quando se Marcha sobre Cadáveres” (uma parábola) – Matéi VISNIEC

ERA UMA VEZ um rei de um país que não tinha nome. O reizinho também não tinha nome. E o rei, como era baixinho, não suportava que seus súditos fossem maiores do que ele. Então, quando o rei passeava pelas ruas, as pessoas tinham que andar pelas valetas, pois assim o rei parecia maior. Mas… Continue lendo “Da Sensação de Elasticidade Quando se Marcha sobre Cadáveres” (uma parábola) – Matéi VISNIEC

“Acedia” – CIORAN

Esta estagnação dos órgãos, este embotamento das faculdades, este sorriso petrificado não te recordam muitas vezes o tédio dos claustros, os corações desertos de Deus, a secura e a idiotia dos monges execrando-se no arrebatamento extático da masturbação? És apenas um monge sem hipóteses divinas e sem o orgulho do vício solitário. A terra, o… Continue lendo “Acedia” – CIORAN

“Histeria da Eternidade” – CIORAN

Concebo que se possa ter gosto pela cruz, mas reproduzir todos os dias o acontecimento batido do Calvário tem algo de maravilhoso, de insensato e de estúpido. Pois, afinal de contas, se se abusa dos prestígios do Salvador, Ele se torna tão fastidioso como qualquer outro. Os santos foram grandes perversos; como as santas, magníficas… Continue lendo “Histeria da Eternidade” – CIORAN

“Os deicídios” – CAMUS

A justiça, a razão, a verdade brilhavam ainda no céu jacobino; essas estrelas fixas podiam ao menos servir de pontos de referência. Os pensadores alemães do século XIX, particularmente Hegel, quiseram continuar a obra da revolução francesa,1 ao suprimirem as causas de seu malogro. Hegel acreditou discernir que o Terror estava de antemão contido na… Continue lendo “Os deicídios” – CAMUS

“Pobreza da sabedoria” – CIORAN

Detesto os sábios por seu comodismo, seu medo e sua reserva. Amo infinitamente mais os homens dominados por grandes paixões que os devoram até a morte, do que a monótona disposição dos sábios, que os torna insensíveis tanto ao prazer quanto à dor. O sábio desconhece o caráter trágico da paixão, desconhece o medo da… Continue lendo “Pobreza da sabedoria” – CIORAN

“Os crentes e sua necessidade de crer” – NIETZSCHE

Os crentes e sua necessidade de crer. — O quanto de fé alguém necessita para crescer, o quanto de “firme”, que não quer ver sacudido, pois nele se segura — eis uma medida de sua força (ou, falando mais claramente, de sua fraqueza). Na velha Europa de hoje, parece-me que a maioria das pessoas ainda… Continue lendo “Os crentes e sua necessidade de crer” – NIETZSCHE

“Unbridled Romanticism” – Isaiah BERLIN

I NOW COME TO THE FINAL eruption of unbridled Romanticism. According to Friedrich Schlegel, who wrote most authoritatively about this movement, and was indeed a part of it himself, the three factors which most profoundly influenced the entire movement, not only aesthetically but also morally and politically, were, in this order, Fichte’s theory of knowledge,… Continue lendo “Unbridled Romanticism” – Isaiah BERLIN

“María Zambrano: uma presença decisiva” – CIORAN

A partir do momento em que uma mulher se dedica à filosofia se torna pretensiosa e agressiva, agindo como um novo-rico. Arrogante e no entanto insegura, visivelmente espantada, certamente não se acha no seu elemento. Por que, na presença de Maria Zambrano, nunca sentimos o mal-estar dessa situação? Eu me fiz muitas vezes a pergunta… Continue lendo “María Zambrano: uma presença decisiva” – CIORAN

“The End of Theory” – Byung-Chul HAN

Columbus and His Egg Bentham likened his panopticon to ‘Columbus and his egg’. By his account, the invention should be applied to all disciplinary milieus of incarceration because it promotes the exceptionally efficient surveillance of inmates. The panopticon represents a watershed in the social order: ‘What would you say, if by the gradual adoption and… Continue lendo “The End of Theory” – Byung-Chul HAN

“Contra o fundamentalismo religioso e científico” – John GRAY

Os fundamentalistas religiosos vêem o poder da ciência como a principal fonte do desencanto moderno. A ciência suplantou a religião como fonte de autoridade, mas ao preço de tornar a vida humana acidental e insignificante. Se é para nossas vidas terem algum sentido, o poder da ciência tem de ser derrubado, e a fé restabelecida.… Continue lendo “Contra o fundamentalismo religioso e científico” – John GRAY