“A religião dinâmica” – Henri BERGSON

Lancemos um olhar retrospectivo sobre a vida, cujo desenvolvimento acompanhamos noutra ocasião até o ponto em que a religião dela devia sair. Grande fluxo de energia criadora lança-se na matéria para obter dela o que pode. Na maior parte dos pontos ele se deteve; essas pausas se traduzem ao nosso ver por outros tantos aparecimentos… Continue lendo “A religião dinâmica” – Henri BERGSON

“O Suplício (II)” – Georges BATAILLE

Derrisão! que me digam panteísta, ateu, teísta!… Mas grito ao céu: “não sei nada”. E repito com uma voz cômica (grito ao céu, às vezes, deste jeito): “nada, absolutamente”. O extremo do possível. – No final, aí estamos. Mas tão tarde?… Como, sem o saber, chegamos aí? (em verdade, nada mudou) por um desvio: um… Continue lendo “O Suplício (II)” – Georges BATAILLE

“O Suplício (I)” – Georges BATAILLE

Há nas coisas divinas uma transparência tão grande que escorregamos para o fundo iluminado do riso mesmo a partir de intenções opacas. Vivo de experiência sensível e não de explicação lógica. Tenho do divino uma experiência tão maluca que rirão de mim se falar dela. Entro num beco sem saída. Nele, toda possibilidade se esgota,… Continue lendo “O Suplício (I)” – Georges BATAILLE

Variaciones sobre Dios en «El Ocaso del Pensamiento» (Amurgul gândurilor, 1940), de Cioran

En Ese Maldito Yo [Aveux et Anathèmes, 1987], su último libro, Cioran escribe: "Abuso de la palabra Dios, la utilizo con frecuencia, con demasiada frecuencia. Lo hago cada vez que alcanzo un extremo y necesito un vocablo para nombrar lo que hay después. Prefiero Dios a lo Inconcebible." El Ocaso del Pensamiento (Amurgul gândurilor, 1940),… Continue lendo Variaciones sobre Dios en «El Ocaso del Pensamiento» (Amurgul gândurilor, 1940), de Cioran

“A alma enferma” – William JAMES

Em nosso último encontro, consideramos o temperamento equilibrado, o temperamento que tem uma incapacidade constitucional para o sofrimento prolongado, e no qual a tendência para ver as coisas por um prisma otimista é como a água de cristalização em que se coloca o caráter do indivíduo. Vimos que esse temperamento pode tomar-se a base de… Continue lendo “A alma enferma” – William JAMES

“Estados místicos de consciência” – William JAMES

Primeiro que tudo, portanto, pergunto: Que significa a expressão “estados místicos de consciência?”. Como se separam os estados místicos dos demais estados? Usam-se a miúdo as palavras “misticismo” e “místico” como termos de mera censura, para capitular qualquer opinião que se nos afigure vaga, vasta e sentimental e sem base nos fatos nem na lógica.… Continue lendo “Estados místicos de consciência” – William JAMES

What Cats Teach Us About Happiness | A Cat’s Philosophy

Most of the time, cats come across as utterly indifferent. They don’t seem to care about other cats and aren’t too attached to their owners. But does this mean that cats are immoral, heartless creatures? Are cats, from a philosophical viewpoint, devoid of ethics and virtue? https://www.youtube.com/watch?v=4T_fwF-Torc According to philosopher John Gray, author of the… Continue lendo What Cats Teach Us About Happiness | A Cat’s Philosophy

A Mente Zen – Shunryu SUZUKI

https://www.youtube.com/watch?v=qzuBU8UiFU0 Citações e trechos do livro Mente Zen, Mente de Principiante, de Shunryu Suzuki. Monge, filósofo e mestre do budismo Sōtō Zen, Shunryu Suzuki, ou Suzuki Roshi (1905 - 1971) foi um dos professores espirituais mais influentes do século XX. Profundamente respeitado no Japão, Suzuki deixou seu país e foi para os Estados Unidos em… Continue lendo A Mente Zen – Shunryu SUZUKI

Tudo Muda – Shunryu SUZUKI

Visto do exterior, cada ser é um acidente, uma mentira (salvo no amor, mas o amor se situa fora do conhecimento e da verdade). Talvez devêssemos olhar-nos de fora, mais ou menos como olhamos para os outros, e tentar não ter nada em comum com nós mesmos: se, em relação a mim, eu me portasse… Continue lendo Tudo Muda – Shunryu SUZUKI

“Spiritual Titanism: Indian, Chinese, and Western Perspectives” – Nicholas F. GIER

PREFACE What matters most for India is not so much the salvation of the personality as the acquisition of absolute freedom.—Mircea Eliade In the millennium to come we are meant to become Gods on other planets. This is the great potential of our Divinity.—Gopi Krishna The whole ascetic tradition . . . springs from that… Continue lendo “Spiritual Titanism: Indian, Chinese, and Western Perspectives” – Nicholas F. GIER