“Libre comme un mort-né : Emil Cioran” – Nancy HUSTON

L’être humain qui allait se transformer petit à petit en Emil Cioran démarra lorsqu’un spermatozoïde de pope orthodoxe rencontra un ovule gisant dans les tubes fallopiens d’une femme mélancolique. Cinquante et un ans plus tard, dans une lettre à son frère, c’est de cela que se souviendra le plus célèbre pessimiste d’Europe : “Je pense souvent… Continue lendo “Libre comme un mort-né : Emil Cioran” – Nancy HUSTON

Diccionario de t̩rminos en las obras en lengua rumana de Emil Cioran (palabra acompa̱ante) РSimona Constantinovici

Espacio M. Liliana Herrera A. 🇨🇴

“La enfermedad de un hombre se mide
según la frecuencia de la palabra <<vida>> en su vocabulario”

Emil Cioran, El ocaso del pensamiento

Simona Constantinovici (1968-) es escritora y profesora de lexicología, lexicografía poética, estilística, semántica interpretativa y escritura creativa en la Facultad de Artes, Historia y Teología de la Universitatea de Vest din Timișoara. Es autora de 15 libros. Sus poemas y cuentos se han publicado en diversas antologías y colecciones literarias, en Rumanía y otros países. Ha ganado premios literarios por su variada producción literaria.

La idea de concebir un diccionario que recoja la variedad del léxico cioraniano le pertenece al profesor Giovanni Rotiroti, de la Università degli Studi di Napoli „L’Orientale. Todo partió de hojear otro diccionario centrado sobre el léxico de un poeta rumano, Tudor Arghezi[1]. Tuve la idea de ofrecérselo, en la casa de un buen amigo, Ciprian Vălcan, con ocasión de una…

Ver o post original 4.496 mais palavras

“A lição da nostalgia: a invenção de uma doença” – Jean STAROBINSKI

A história dos sentimentos e das “mentalidades” levanta uma questão de método, que tem a ver com a relação entre os sentimentos e a linguagem. Os sentimentos cuja história queremos retraçar só nos são acessíveis a partir do momento em que se manifestaram, verbalmente ou por qualquer outro meio expressivo. Para o crítico, para o… Continue lendo “A lição da nostalgia: a invenção de uma doença” – Jean STAROBINSKI

Existencialismo, Gnosticismo, Niilismo: a propósito de Cioran – Ioan P. CULIANU

Não insistiremos na análise das relações entre existencialismo e gnosticismo já estabelecidas por Hans Jonas. Eu já o fiz em outro lugar, e em detalhes. O gnosticismo e o existencialismo assemelham-se à fenomenologia do ser no mundo, que é "pro-iectionis" (Geworfenheit), abandono, esquecimento, inautenticidade. Mas enquanto esta condição não forma, para o gnóstico, senão a… Continue lendo Existencialismo, Gnosticismo, Niilismo: a propósito de Cioran – Ioan P. CULIANU

Cioran e a Colômbia: entrevista de Liliana Herrera com Ciprian Vălcan e Ilinca Ilian

Entrevista publicada na versão espanhola (da Colômbia) do livro de entrevistas de Ciprian Vălcan, Cioran: un aventurier nemişcat [Cioran: un aventurero inmóvil], traduzido do romeno por Miguel Angel Gómez Mendoza. CIPRIAN VĂLCAN: Como você conheceu a obra de Cioran? LILIANA HERRERA: Descobri Cioran em 1979, quando era estudante de Filosofia e Letras na Universidade de… Continue lendo Cioran e a Colômbia: entrevista de Liliana Herrera com Ciprian Vălcan e Ilinca Ilian

“Alvo da intenção terrorista: uma experiência filosófica da aprovação” – Clément ROSSET

A lógica do pior ensina pois a necessidade da ligação entre pensamento trágico e pensamento aprobatório. Para ela, trágico e afirmação são termos sinônimos. Isto, por três grandes razões teóricas que respondem cada uma às três questões gerais postas mais acima. Em primeiro lugar, a filosofia trágica considera a aprovação (e seu contrário, que é… Continue lendo “Alvo da intenção terrorista: uma experiência filosófica da aprovação” – Clément ROSSET

“O trágico de repetição” – Clément ROSSET

Uma análise sumária do trágico de repetição permite precisar um pouco a natureza do silêncio trágico e de sua inaptidão à interpretação. Marx, parafraseando Hegel, diz que os eventos históricos se produzem sempre duas vezes, a primeira de modo trágico, a segunda (repetição) de modo cômico (O dezoito brumário). É certo que a repetição possui… Continue lendo “O trágico de repetição” – Clément ROSSET

“Sobre a Melancolia” – E.M. Cioran

Quando não se pode livrar-se de si mesmo, deleita-se devorando-se. Em vão se chamaria o Senhor das Sombras, o distribuidor de uma maldição precisa: se está doente sem doença e se é réprobo sem vícios. A melancolia é o estado sonhado do egoísmo: nenhum objeto fora de si mesmo, nenhum motivo mais de ódio ou… Continue lendo “Sobre a Melancolia” – E.M. Cioran

A Repetição – Søren Aabye KIERKEGAARD

"O amor da recordação é o único feliz, disse um autor!" Nisso tem também inteira razão, se nos recordarmos de que primeiro faz um homem infeliz. O amor da repetição é na verdade o único feliz. Tal como o da recordação, não tem a inquietação da esperança, não tem a alarmante aventura da descoberta, mas… Continue lendo A Repetição – Søren Aabye KIERKEGAARD

“A preocupação com a decência” – E. M. Cioran

Sob o aguilhão da dor, a carne desperta; matéria lúcida e lírica, canta sua dissolução. Enquanto era indiscernível da natureza, repousava no esquecimento dos elementos: o eu ainda não havia se apoderado dela. A matéria que sofre emancipa-se da gravitação, não é mais solidária do resto do universo, isola-se do conjunto adormecido; pois a dor,… Continue lendo “A preocupação com a decência” – E. M. Cioran