“Do ennui ao êxtase: Cioran e o sentimento religioso da existência” – Rodrigo MENEZES

Quanto mais perco minha fé no mundo, mais estou em Deus, sem crer nele. – Será uma doença misteriosa, ou uma nobreza do espírito e do coração, que te faz ser ao mesmo tempo cético e místico?CIORAN, Amurgul gândurilor [O Crepúsculo dos Pensamentos] (1940) A acusação de “irracionalismo” oculta, muitas vezes, a defesa de um… Continue lendo “Do ennui ao êxtase: Cioran e o sentimento religioso da existência” – Rodrigo MENEZES

“Um homem realizado” – CIORAN

Ao indivíduo acostumado ao íntimo das profundidades, o "mistério" não intimida; não fala dele e não sabe o que seja: vive-o... A realidade em que se move não comporta outra: não tem uma zona inferior nem um além: está abaixo de tudo e para além de tudo. Farto de transcendência, superior às operações do espírito… Continue lendo “Um homem realizado” – CIORAN

“Pensar contra si próprio” – CIORAN

Um requisitório contra o otimismo new age, a cultura da autoajuda e suas receitas de felicidade, mas também contra a Teosofia e o Tradicionalismo, dogmatismos perniciosos que se inspiram em supostos mistérios, em supostas "verdades perenes". "Pensar contra si próprio" é o texto de abertura de A tentação de existir (1956), o terceiro livro de… Continue lendo “Pensar contra si próprio” – CIORAN

Sepultador de Ilusões: Osmair Cândido em Conversações Filosóficas

Assim que entramos num cemitério, um sentimento de completa irrisão afasta qualquer preocupação metafísica. Os que procuram «mistério» em todo o lado não vão necessariamente até ao fundo das coisas. O mais frequente é o «mistério», tal como o «absoluto», corresponder apenas a um tique do espírito. É uma palavra a que só devíamos recorrer… Continue lendo Sepultador de Ilusões: Osmair Cândido em Conversações Filosóficas

Perfil na Time Magazine: Cioran, “Visionário da Escuridão” – Paul RESS

Em meio às quase mil páginas dos Cahiers (cadernos) que Cioran manteve como um indispensável laboratório de ideias e exercício de estilo, encontram-se algumas notas sobre uma entrevista que ele teria dado a um jornalista norte-americano, enviado pela revista Time, na qual o autor romeno de expressão francesa, à essa altura já um autor renomado… Continue lendo Perfil na Time Magazine: Cioran, “Visionário da Escuridão” – Paul RESS

E.M. Cioran e a Oração de um Dácio – Vasilica COTOFLEAC

Já foi dito de E. M. Cioran que é um cético, um niilista, ou talvez um existencialista, que não é um filósofo profissional, que sua obra não admite qualquer comparação aceitável e que é muito difícil qualificá-la com base em referências. Mas a afirmação de sua originalidade, além de não resolver a óbvia dificuldade interpretativa,… Continue lendo E.M. Cioran e a Oração de um Dácio – Vasilica COTOFLEAC

O primeiro Cioran francês: Breviário, Silogismos e A Tentação de Existir | 10/07/2021 (ao vivo no YT)

Após uma apresentação biográfica dos anos romenos de Cioran (1911-1937), antes de expatriar-se na França, a próxima live temática abordará o primeiro Cioran francês. Data: 10/07/2021 (sábado)Horário: 18h00 (Brasil)URL de acesso: https://youtu.be/91Nq52wxUzg https://www.youtube.com/watch?v=91Nq52wxUzg Pode-se divisar sucessivas e distintas fases do pensamento de E.M. Cioran, o aclamado escritor de língua francesa. Liliana Herrera discerne dois momentos… Continue lendo O primeiro Cioran francês: Breviário, Silogismos e A Tentação de Existir | 10/07/2021 (ao vivo no YT)

“O comércio dos místicos” (E.M. Cioran)

Video-leitura experimental de um importante ensaio, visualmente ilustrado e comentado com imagens e cenas de filmes diversos: "O comércio dos místicos" é um texto-chave, parte integrante de um livro não menos importante, apesar de não tão lido e conhecido como o Breviário de Decomposição (1949): A Tentação de Existir (1957), o terceiro livro de Cioran… Continue lendo “O comércio dos místicos” (E.M. Cioran)

“La vie en prose”: a prosa como gênero ideal para uma comunhão de almas dilaceradas

Au lecteur,C'est ici un livre de bonne foi, lecteur. Il t'avertit, dés l'entrée, que je ne m'y suis proposé aucune fin, que domestique et privée. Je n'y ai eu nulle considération de ton service, ni de ma gloire. Mes forces ne sont pas capables d'un tel dessein. Je l'ai voué à la commodité particulière de… Continue lendo “La vie en prose”: a prosa como gênero ideal para uma comunhão de almas dilaceradas

“Carta a propósito de certos impasses” (E.M. Cioran)

VOCÊ CENSUROU muitas vezes em mim aquilo a que chama o meu "apetite de destruição". Saiba, porém, que eu nada destruo: registo, registo o iminente, a sede de um mundo que se anula, e que, através da ruína das suas evidências, corre em direcção ao insólito e ao incomensurável, em direcção a um estilo espasmódico.… Continue lendo “Carta a propósito de certos impasses” (E.M. Cioran)