La idea del maestro en el Zarathustra de Nietzsche – Mónica B. Cragnolini | UBA 🇦🇷

Mónica B. Cragnolini es profesora de Metafísica y problemas especiales de Metafísica de la UBA. Autora de Razón imaginativa, identidad y ética en la obra de Paul Ricoeur (1993), Nietzsche: camino y demora (1998), Moradas nietzscheanas. Del sí mismo, del otro y del entre (2006) e Derrida, un pensador del resto (2007). Dedicada a la… Continue lendo La idea del maestro en el Zarathustra de Nietzsche – Mónica B. Cragnolini | UBA 🇦🇷

“A alegria e o trágico em Nietzsche” (Roberto Machado)

Uma conferência do filósofo brasileiro que poderia ter sido de Clément Rosset: os insights, certa intenção "terrorista" (trágica, afirmação do acaso), a afirmação incondicional e jubilatória da existência em sua integralidade, incluindo-se os seus aspectos mais desgraçados e miseráveis, a alegria como o sentimento superior da existência tragicamente considerada e experimentada. La joie tragique, para… Continue lendo “A alegria e o trágico em Nietzsche” (Roberto Machado)

“A alegria musical” (Clément Rosset)

Levando em conta o papel central que tem a jubilação e a experiência musical, aquela, em Nietzsche, sempre ligada a esta, a credibilidade do pensamento nietzscheano aparece como tributária da credibilidade de uma concepção da música, cujo esboço, em certo sentido, já definitivo, O nascimento da tragédia apresenta. Esta concepção se pode ser resumida em… Continue lendo “A alegria musical” (Clément Rosset)

O homem: corda sobre um abismo, passagem e declínio (Friedrich Nietzsche)

Mas Zaratustra olhou para o povo e se admirou. Então falou assim: O homem é uma corda, atada entre o animal e o super-homem — uma corda sobre um abismo. Um perigoso para-lá, um perigoso a-caminho, um perigoso olhar-para-trás, um perigoso estremecer e se deter. Grande, no homem, é ser ele uma ponte e não… Continue lendo O homem: corda sobre um abismo, passagem e declínio (Friedrich Nietzsche)

“Caindo da redenção: escrever e pensar para além da salvação em Baudelaire, Cioran, Fondane, Agamben e Nancy” (Joseph Acquisto)

Muito embora decididamente ateísta em sua orientação, os desenvolvimentos recentes na teoria literária e na filosofia continental suscitaram um interesse renovado pelo teológico. Na aurora de estudos como o de Charles Taylor, Uma era secular, os estudiosos colocaram em questão a hipótese da secularização pela qual o nascimento da modernidade no Ocidente representou uma ruptura… Continue lendo “Caindo da redenção: escrever e pensar para além da salvação em Baudelaire, Cioran, Fondane, Agamben e Nancy” (Joseph Acquisto)

“Assim falou Zaratustra” – NIETZSCHE

AOS TRINTA ANOS de idade, Zaratustra deixou sua pátria e o lago de sua pátria e foi para as montanhas. Ali gozou do seu espírito e da sua solidão, e durante dez anos não se cansou. Mas enfim seu coração mudou — e um dia ele se levantou com a aurora, foi para diante do… Continue lendo “Assim falou Zaratustra” – NIETZSCHE