“O fim da teoria” – Byung-Chul HAN

Numa carta endereçada a sua mulher, escreve Martin Heidegger: “O outro, inseparável do amor a ti e, de outro modo, inseparável do meu pensamento, é difícil de dizer. Chamo-o de Eros, o mais antigo dos deuses, segundo a palavra de Parmênides. O bater as asas daquele deus toca-me cada vez que no pensamento dou um… Continue lendo “O fim da teoria” – Byung-Chul HAN

Publicidade

“Hurqalya. Para una topología de la imaginación” (Rodrigo Karmy Bolton)

Revista Chilena de Literatura, no. 99, Santiago do Chile, abril de 2019 1. PAÍS DE NO-DONDE “Yo: En dos palabras, dime, ¿desde dónde se han dignado venir esos nobles señores? / El sabio: “Somos una cofradía de seres inmateriales (mojarradán). Todos nosotros venimos de Na-koja-abad (“el país del no-dónde”)” / Yo no llegaba a comprender.… Continue lendo “Hurqalya. Para una topología de la imaginación” (Rodrigo Karmy Bolton)

“Eros, alteridade e transcendência” – Byung-Chul HAN

A DEPRESSÃO é uma enfermidade narcísica. O que leva à depressão é uma relação consigo mesmo exageradamente sobrecarregada e pautada num controle exagerado e doentio. O sujeito depressivo-narcisista está esgotado e fatigado de si mesmo. Não tem mundo e é abandonado pelo outro. Eros e depressão se contrapõem mutuamente. O eros arranca o sujeito de… Continue lendo “Eros, alteridade e transcendência” – Byung-Chul HAN