“Teodiceia e Antropodiceia: o mal na teologia depois de Auschwitz” – Karl-Josef KUSCHEL

Márcia Junges e Andriolli Costa - IHU On-line, 438, 24 de março de 2014 Para o teólogo Karl-Josef Kuschel, após o holocausto a crença na “boa criação” e no “bom criador” está falida de uma vez por todas A teologia clássica sempre relativizou o conceito de "Mal", de forma que ele não fosse encarado como… Continue lendo “Teodiceia e Antropodiceia: o mal na teologia depois de Auschwitz” – Karl-Josef KUSCHEL

Publicidade

“Hannah Arendt: significado e experiência viva” – Adriana NOVAES

Hannah Arendt foi uma das mais importantes pensadoras do século XX, e seu legado chega até nós com uma viva importância. Tendo se dedicado ao estudo do fenômeno do totalitarismo como ápice de um processo de crise da tradição e de suas consequências para a vida política e moral, célebre por sua análise da "banalidade… Continue lendo “Hannah Arendt: significado e experiência viva” – Adriana NOVAES

“Hannah Arendt: a capacidade de julgar” – José Alves de Freitas Neto

A banalidade do mal é chave fundamental no pensamento de Hannah Arendt e se desdobra nas questões que enfrentamos no século XXI. A partir do célebre julgamento de um burocrata nazista, Arendt sugeriu formulações incômodas sobre a capacidade de julgar, de discernir, de pensar. A banalidade do mal é, de certa forma, uma advertência aos… Continue lendo “Hannah Arendt: a capacidade de julgar” – José Alves de Freitas Neto

Anatomia do mal: o que exames psicológicos revelaram sobre nazistas | BBC News

Iniciados em 20 de novembro de 1945, na Alemanha, após o fim da Segunda Guerra Mundial, os Julgamentos de Nuremberg sentenciaram 24 dos mais importantes líderes do Nazismo. Doze deles foram condenados à morte. https://www.youtube.com/watch?v=CNn9JYGjf18 E, apesar de muito já ter se falado sobre os processos em si, pouco se discutiu sobre a extraordinária análise… Continue lendo Anatomia do mal: o que exames psicológicos revelaram sobre nazistas | BBC News