“Contra o fundamentalismo religioso e científico” – John GRAY

Os fundamentalistas religiosos vêem o poder da ciência como a principal fonte do desencanto moderno. A ciência suplantou a religião como fonte de autoridade, mas ao preço de tornar a vida humana acidental e insignificante. Se é para nossas vidas terem algum sentido, o poder da ciência tem de ser derrubado, e a fé restabelecida.… Continue lendo “Contra o fundamentalismo religioso e científico” – John GRAY

Publicidade

“Soviet Communism: a modern millenarian revolution” – John GRAY

Bolshevism as a social phenomenon is to be reckoned as a religion, not as an ordinary political movement.Bertrand Russell In the last pages of his pamphlet ‘Literature and Revolution’, published in 1923, Leon Trotsky gives a glimpse of the transformation in human life he believed was within reach. He writes not about changes in society… Continue lendo “Soviet Communism: a modern millenarian revolution” – John GRAY

Intervista con Vincenzo Fiore: su filosofia auto-sperimentale, anti-fanatismo e «l’infernale sincerità» di Cioran

Orizzonti Culturali Italo-Romeni, nr. 9, anno IX, settembre 2019 «In un’epoca dove il fanatismo sembra essere tornato alla ribalta a livello mondiale, il pensatore romeno è un antidoto che ci rende immuni». (Vincenzo Fiore) A partire da questa premessa, pubblichiamo un’intervista con Vincenzo Fiore che affronta la filosofia auto-sperimentale, l'anti-fanatismo e «l’infernale sincerità» di Cioran. Vincenzo… Continue lendo Intervista con Vincenzo Fiore: su filosofia auto-sperimentale, anti-fanatismo e «l’infernale sincerità» di Cioran

“Aquele que diz sim, aquele que diz não: religiosidade e heresia” – Marília FIORILLO

Revista Estudos de Sociologia, v. 18, n. 34, 2013 RESUMO: Imaginação e religião entronizada são antitéticas. O dogma, cerne das grandes religiões monoteístas, nada mais é que uma diligente e metódica rejeição à curiosidade, autonomia e inventividade. É nesta relação assimétrica entre aquele que ignora, teme e suplica, e o Outro que tudo sabe e… Continue lendo “Aquele que diz sim, aquele que diz não: religiosidade e heresia” – Marília FIORILLO

História do ceticismo (Bertrand Russell)

Tímon passou os últimos anos de sua longa vida em Atenas, onde morreu no ano de 235 a.C. Com sua morte, a escola de Pirro teve fim enquanto escola, mas, por mais estranho que possa parecer, suas doutrinas foram adotadas -- com algumas alterações -- pela Academia, representante da tradição platônica. O homem que realizou… Continue lendo História do ceticismo (Bertrand Russell)

“How different really are atheists and believers?” – Costica BRADATAN

The Washington Post, November 16, 2018 Costica Bradatan is a professor of humanities at Texas Tech University. He is the author, most recently, of “Dying for Ideas: The Dangerous Lives of the Philosophers.” ‘If you want to understand atheism and religion,” writes John Gray in his new book, “Seven Types of Atheism,” “you must forget… Continue lendo “How different really are atheists and believers?” – Costica BRADATAN

“A experiência do tédio” – Lars SVENDSEN

Arnold Gehlen afirmou que só a realidade ajuda a lutar contra o tédio. Essa não é, em absoluto, uma má sugestão, mas não é possível se apossar assim de um fragmento da realidade. O problema com o tédio, entre outras coisas, é que "perdemos" realidade. A proposta de Gehlen poderia parecer uma solução, supondo-se que… Continue lendo “A experiência do tédio” – Lars SVENDSEN

“An Indian philosophy of universal contingency: Nagarjuna’s school” – Fernando TOLA; Carmen DRAGONETTI

The Normal Experience and the Philosophical Study of the Empirical Reality The ordinary experience reveals to us a reality composed of beings and things which present themselves as existing in se et per se, as compact, continuous and unitary, as permanent and as real, i.e. as being such as we perceive them. The Madhyamika school… Continue lendo “An Indian philosophy of universal contingency: Nagarjuna’s school” – Fernando TOLA; Carmen DRAGONETTI