Cioran e Keats: o imperativo da intensidade e poéticas do grotesco

Segundo o tradutor Péricles Eugênio da Silva Ramos, o princípio da intensidade desempenha um papel fundamental na poética de John Keats (1795-1821). Em 21 de dezembro de 1817, o poeta inglês escreveria, em carta ao irmão George, que "a excelência de toda arte está em sua intensidade, capaz de fazer o desagradável ('all desagreeables') evaporar… Continue lendo Cioran e Keats: o imperativo da intensidade e poéticas do grotesco

“Sobre a Melancolia” – E.M. Cioran

Quando não se pode livrar-se de si mesmo, deleita-se devorando-se. Em vão se chamaria o Senhor das Sombras, o distribuidor de uma maldição precisa: se está doente sem doença e se é réprobo sem vícios. A melancolia é o estado sonhado do egoísmo: nenhum objeto fora de si mesmo, nenhum motivo mais de ódio ou… Continue lendo “Sobre a Melancolia” – E.M. Cioran

“Nos Funerais do Desejo” – E.M. CIORAN

Uma caverna infinitesimal boceja em cada célula… Sabemos onde se instalam as doenças, seu lugar, a carência definida dos órgãos; mas esse mal sem sede…, essa opressão sob o peso de mil oceanos, esse desejo de um veneno idealmente maléfico… As vulgaridades da primavera, as provocações do sol, do viço, da seiva… Meu sangue se… Continue lendo “Nos Funerais do Desejo” – E.M. CIORAN

“A preocupação com a decência” – E. M. Cioran

Sob o aguilhão da dor, a carne desperta; matéria lúcida e lírica, canta sua dissolução. Enquanto era indiscernível da natureza, repousava no esquecimento dos elementos: o eu ainda não havia se apoderado dela. A matéria que sofre emancipa-se da gravitação, não é mais solidária do resto do universo, isola-se do conjunto adormecido; pois a dor,… Continue lendo “A preocupação com a decência” – E. M. Cioran

“Restauração de um culto” – E.M. Cioran

Como gastei minha qualidade de homem, nada me é mais de nenhum proveito. Só vejo por toda parte carneiros com ideal que se ajuntam para balir suas esperanças… Mesmo os que nunca viveram juntos, são empurrados para o rebanho, como fantasmas, pois com que outro fim concebeu-se a “comunhão” dos santos?… Em busca de um… Continue lendo “Restauração de um culto” – E.M. Cioran

Música & Ceticismo – E.M. Cioran

Busquei a Dúvida em todas as artes e só a encontrei camuflada, furtiva, dissipada nos entreatos da inspiração, surgida do relaxamento do impulso; mas renunciei a buscá-la – mesmo sob essa forma – em música; aí não poderia florescer: ignorando a ironia, a música procede não das malícias do intelecto, mas dos matizes ternos ou… Continue lendo Música & Ceticismo – E.M. Cioran

“Quem escreveu o Breviário de decomposição?” – Nicolas CAVAILLÈS

Tal como foi publicado pela editora Gallimard em 1949, o primeiro livro escrito em francês pelo romeno Emil Cioran, Breviário de decomposição, foi assinado E.M. Cioran, como, aliás, os demais livros franceses que se seguiram; hoje, porém, desde o sucesso de Exercícios de Admiração em 1986, lê-se em muitas das capas das reedições recentes o… Continue lendo “Quem escreveu o Breviário de decomposição?” – Nicolas CAVAILLÈS

O primeiro Cioran francês: Breviário, Silogismos e A Tentação de Existir | 10/07/2021 (ao vivo no YT)

Após uma apresentação biográfica dos anos romenos de Cioran (1911-1937), antes de expatriar-se na França, a próxima live temática abordará o primeiro Cioran francês. Data: 10/07/2021 (sábado)Horário: 18h00 (Brasil)URL de acesso: https://youtu.be/91Nq52wxUzg https://www.youtube.com/watch?v=91Nq52wxUzg Pode-se divisar sucessivas e distintas fases do pensamento de E.M. Cioran, o aclamado escritor de língua francesa. Liliana Herrera discerne dois momentos… Continue lendo O primeiro Cioran francês: Breviário, Silogismos e A Tentação de Existir | 10/07/2021 (ao vivo no YT)

“Invocação à Insônia” – E.M. CIORAN

Eu tinha dezessete anos e acreditava na filosofia. O que não se referia a ela parecia-me pecado ou lixo: os poetas? saltimbancos aptos para a diversão de mulherzinhas; a ação? imbecilidade delirante; o amor, a morte? pretextos de baixa categoria que se recusavam à honra dos conceitos. Odor nauseabundo de um universo indigno do perfume… Continue lendo “Invocação à Insônia” – E.M. CIORAN

“No segredo dos moralistas” – E.M. CIORAN

Quando enchemos todo o universo de tristeza, só nos resta, para reavivar o espírito, a alegria, a rara, a fulgurante alegria; e é quando já não esperamos mais que sofremos a fascinação da esperança: a Vida, presente oferecido aos vivos pelos obcecados da morte… Como a direção de nossos pensamentos não é a de nossos… Continue lendo “No segredo dos moralistas” – E.M. CIORAN