“Mecanismos da utopia” (E.M. Cioran)

EM QUALQUER GRANDE CIDADE onde o acaso me leva, surpreendo-me que não se desencadeiem todos os dias revoltas, massacres, uma carnificina sem nome, uma desordem de fim do mundo. Como, em um espaço tão reduzido, podem coexistir tantos homens sem destruir-se, sem odiar-se mortalmente? Na verdade, se odeiam, mas não estão à altura de seu… Continue lendo “Mecanismos da utopia” (E.M. Cioran)