Vacances d’été à Ibiza avec le philosophe Emil Cioran – Franck Olivar

FranceInter, 18 juin 2021 Que diriez-vous pour vos vacances d’été d’un petit séjour à Ibiza avec pour guide le philosophe roumain Emil Cioran ? Durant l’été 1966, Emil Cioran séjourne à Talamanca, village de l’île où en proie à une crise intense, entre insomnies et émerveillements, il rédige un cahier consignant ses coups de blues… Continue lendo Vacances d’été à Ibiza avec le philosophe Emil Cioran – Franck Olivar

“Um Cioran light, s’il vou plaît!” – Marcelo ALCARAZ

Jornal Relevo, ano 10, no 14, agosto de 2020 Nascido na Romênia e residindo boa parte de sua vida em Paris, Emil Cioran foi um grande ensaísta efilósofo. Publicado inicialmente no Brasil pela editora Rocco, tem, entres seus escritos, pérolas comoO silogismo da Amargura e Breviário da Decomposição, textos em que o pessimismo e a… Continue lendo “Um Cioran light, s’il vou plaît!” – Marcelo ALCARAZ

A libertação necessária e (im)possível: a tragédia humana tem redenção, segundo Cioran?

"Ceder, em meio aos nossos males, à tentação de crer que não nos terão servido para nada, que sem eles estaríamos infinitamente mais avançados, é esquecer o duplo aspecto da doença: aniquilação e revelação; ela só nos arranca às nossas aparências para melhor nos abrir à nossa realidade última, e às vezes ao invisível." CIORAN,… Continue lendo A libertação necessária e (im)possível: a tragédia humana tem redenção, segundo Cioran?

Ceticismo, fragmento e lucidez: “Emil Cioran. A Filosofia como Desfascinação e a Escritura como Terapia”, de Vincenzo Fiore [pt. 1] (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

FIORE, Vincenzo. Emil Cioran. La filosofia come de-fascinazione e la scrittura come terapia. Piazza Armerina/Enna: Nulla Die, 2018, 187 pp. A Itália é um dos países mais produtivos, atualmente, no que se refere à fortuna crítica cioraniana. Todo ano são publicados novos estudos, produções acadêmicas e editoriais, além de correspondências epistolares inéditas do próprio Cioran.[1]… Continue lendo Ceticismo, fragmento e lucidez: “Emil Cioran. A Filosofia como Desfascinação e a Escritura como Terapia”, de Vincenzo Fiore [pt. 1] (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

“Um pensamento religioso heterodoxo” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

Eu não gostaria de viver em um mundo esvaziado de todo sentimento religioso. Eu não penso na fé, mas nessa vibração interior que, independente de qualquer crença, vos projeta em Deus, e às vezes acima. (Écartèlement) Clément Rosset e Fernando Savater estão de acordo sobre Cioran em ao menos um ponto. Segundo Rosset, o amigo… Continue lendo “Um pensamento religioso heterodoxo” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

Cahier de Talamanca, o caderno de Cioran escrito em Ibiza

Cioran tinha três pátrias: a da sua infância, a Romênia, a da sua língua, a França, e a da sua alma, a Espanha. Tornado por força de uma lucidez devastadora digno desse século das Luzes que ele amava tanto, ele permaneceu todavia sempre próximo do país cujos êxtases místicos e a noção de desengaño haviam… Continue lendo Cahier de Talamanca, o caderno de Cioran escrito em Ibiza

“El Cuaderno de Talamanca, de E.M. Cioran” (Luis Antonio de Villena)

El Cultural, 14/11/2002 Lo extraño será saber por qué este Cuaderno de Talamanca se quedó fuera de los Cuadernos que Cioran iba escribiendo a lo largo de su vida, y cuyo conjunto de anotaciones no difiere demasiado (salvo quizá por ser más espontáneo) del total de la obra cioranesca, que propende al fragmento o al texto breve aunque apretado,… Continue lendo “El Cuaderno de Talamanca, de E.M. Cioran” (Luis Antonio de Villena)

“Emil Cioran e l’Amore” (Antonio Di Gennaro)

ZONADIDISAGIO - Il blog di Nicola Vacca, 6 giugno 2018 In una delle sue ultime interviste, quella concessa a Michael Jakob, Emil Cioran dice: «In ogni nostro atto c’è un retroscena, e proprio questo è psicologicamente interessante, noi non conosciamo che la superficie, il lato superficiale. Si accede a ciò che è detto, ma l’importante… Continue lendo “Emil Cioran e l’Amore” (Antonio Di Gennaro)

“Cioran-la-passion” (Bruno Geneste)

L'en-je lacanien, 2011/1 (n° 16), p. 55-68. DOI 10.3917/enje.016.0055 Il est incroyable que la perspective d’avoir un biographe n’ait fait renoncer personne à avoir une vie. » La phrase, teintée d’une amère et imparable ironie, est d’Emil Cioran. L’écrivain transfuge nous enseigne sur ce qui de la vie ne s’écrit pas. Fervent nihiliste mais retenu… Continue lendo “Cioran-la-passion” (Bruno Geneste)

“El Universo malogrado: Carta a Cioran”: entrevista com José Ignacio Nájera

Ao hipotético leitor de Cioran, diria que ele não o decepcionará, que seus livros não cairão de suas mãos como muitas vezes acontece com isso que se denomina filosofia. E mais, a leitura de Cioran é como comer a maçã do Paraíso que o aproximará do conhecimento, e por isso o tornará mais grave, mais… Continue lendo “El Universo malogrado: Carta a Cioran”: entrevista com José Ignacio Nájera