Gnose e imaginação poĂ©tica – Harold BLOOM

Desejo acentuar aqui, no inĂ­cio, minha prĂłpria convicção de que Ă© infrutĂ­fero literalizar ou descartar a experiĂȘncia espiritual -- antiga, medieval ou contemporĂąnea. Essa convicção Ă© pragmĂĄtica, e sigo William James no reconhecer as experiĂȘncias religiosas importantes como autĂȘnticas diferenças: uma das outras e entre nĂłs. Para muitos dos antigos, os fenĂŽmenos dos anjos, sonhos… Continue lendo Gnose e imaginação poĂ©tica – Harold BLOOM

Publicidade