“O filósofo e o marqueteiro: o ‘melhor dos mundos possíveis’ como conto do vigário publicitário” – Rodrigo MENEZES

Byung-Chul Han é um filósofo contemporâneo conhecido por sua crítica à assim-chamada “ditadura da positividade”, o que, numa sociedade da positividade, não pode soar senão como um terrível paradoxo: a positividade nunca constitui "ditadura", só a negatividade. É preciso entender o conceito de positividade trabalhado por Han em toda a sua amplitude: do conforto material… Continue lendo “O filósofo e o marqueteiro: o ‘melhor dos mundos possíveis’ como conto do vigário publicitário” – Rodrigo MENEZES

“El cinismo: ocaso de la falsa conciencia” – Peter SLOTERDIJK

Los tiempos son duros pero modernos.Proverbio italiano Y con todo no se veía a nadie que estuviera detrás de todo esto. Todo giraba continuamente alrededor de sí mismo. Los intereses variaban de hora en hora. En ninguna parte existía ya una meta… Los directivos perdían la cabeza. Se sentían totalmente agotados, esclerotizados… En el país… Continue lendo “El cinismo: ocaso de la falsa conciencia” – Peter SLOTERDIJK

“As Velhinhas e o Diabo: aforismos para tempos que ainda esperam pelo despertar da história” – Giovanni ROTIROTI

Prefácio de As velhinhas e o diabo [Babele și diavolul], de Ciprian Vălcan. Trad. de Rodrigo Menezes. São Paulo: Tesseractum, 2022. ISBN: 978-65-89867-30-2. “A etapa final do capitalismo é o canibalismo.” Num século – como o nosso – marcado pela derrocada das utopias emancipatórias e pela crescente imposição do sistema econômico e do imaginário capitalista,… Continue lendo “As Velhinhas e o Diabo: aforismos para tempos que ainda esperam pelo despertar da história” – Giovanni ROTIROTI

Luciano de Samósata | Imprensa da Universidade de Coimbra (2012)

Tradução do grego, introdução e notas: Custódio Magueijo Edição utilizada: A. M. Harmon, Lucian, The Loeb ClassicalLibrary: Greek authors, Harvard University Press, 1959-1961. Amadurecido pelas viagens e pela experiência da vida, materialmente afortunado, Luciano cedo se farta da actividade judiciária, da retórica e da sofística, para se entregar a uma actividade literária que, não sendo… Continue lendo Luciano de Samósata | Imprensa da Universidade de Coimbra (2012)

“A História como ontologia do mundo: Luciano de Samósata entre a derrisão e a austeridade” – Cleber Ranieri Ribas de ALMEIDA

Revista Estudos Hum(e)anos, nr. 0, 2010/01 Resumo: O filósofo cínico Luciano de Samósata foi, dentre os autores da antiguidade clássica, aquele que mais influiu para a formação do cânone literário que constitui clara tradição filosófica e ficcional na modernidade, a denominada “tradição luciânica”. Escritores como Erasmus de Roterdan (Elogio da Loucura), Rabelais (Pantagruel), Swift (Viagens… Continue lendo “A História como ontologia do mundo: Luciano de Samósata entre a derrisão e a austeridade” – Cleber Ranieri Ribas de ALMEIDA

“«Dialética da indolência»: heresia e idiotismo contra a tirania da positividade tóxica” – Rodrigo Menezes

Quis suprimir em mim as razões que os homens invocam para existir e para agir. Quis tornar-me indizivelmente normal – e eis-me aqui, no embrutecimento, no mesmo plano que os idiotas e tão vazio como eles.CIORAN, Breviário de decomposição, p. 62 Ser mais inutilizável que um santo...CIORAN, Silogismos da amargura, p. 75 Cioran e Byung-Chul… Continue lendo “«Dialética da indolência»: heresia e idiotismo contra a tirania da positividade tóxica” – Rodrigo Menezes

Genealogia do Fanatismo Brasileiro – E.M. Cioran

Em si mesma, toda ideia é neutra ou deveria sê-lo; mas o homem a anima, projeta nela suas chamas e suas demências; impura, transformada em crença, insere-se no tempo, toma a forma de acontecimento: a passagem da lógica à epilepsia está consumada… Assim nascem as ideologias, as doutrinas e as farsas sangrentas. Idólatras por instinto,… Continue lendo Genealogia do Fanatismo Brasileiro – E.M. Cioran

“Animales Cínicos” – Leopoldo Tillería AQUEVEQUE

Griot : Revista de Filosofia, [S. l.], v. 21, n. 1, p. 341-353, 2021. [PDF] Resumo: Junto a las reprimendas de Diógenes el Perro, la filosofía de la amargura de Émile Cioran y el neo-Cinismo de Peter Sloterdijk, se conformaría –en opinión del autor- un linaje Cínico que habla por sí mismo, pese a sus diferencias… Continue lendo “Animales Cínicos” – Leopoldo Tillería AQUEVEQUE

“Cioran y la condición humana: ser-con los animales” – Gustavo ROMERO

In Criterion Editrice Milano (ed.), Emil Cioran. Giornate di studio a Napoli. Milano: Criterion Editrice Milano. pp. 103-114 (2019). Resumen: Este trabajo se propone dos objetivos, uno descriptivo y otro propositivo. El descriptivo consiste en el análisis de la crítica que realiza E. Cioran, a lo largo de su obra, a la concepción humanista del ser… Continue lendo “Cioran y la condición humana: ser-con los animales” – Gustavo ROMERO

“El fracaso en la filosofía” (Costica Bradatan)

Revista de Filosofía de la Universidad de Costa Rica, LIX (155), 203-209, Setiembre-Diciembre 2020  Se dice que Diógenes el cínico (412 AC-323AC) tuvo que dejar su natal Sínope pues se vio involucrado en un escándalo por falsificación de la moneda local. Sin embargo, logró salvarse dejando su pasado de falsificador para dedicar sea una carrera… Continue lendo “El fracaso en la filosofía” (Costica Bradatan)