“O voluptuoso, o insolúvel: Liliana Herrera e a paixão-Cioran” – Rodrigo Menezes

Hegel é meu exato oposto. Hegel é impensável para mim, por mais que eu reconheça sua importância. Mas isso é outra estória. Tenho um amigo na Romênia, um especialista no pensamento de Hegel [Constantin Noica], que não consegue ler minhas coisas, que não me leva a sério. Não obstante, muito embora tivesse uma mentalidade totalmente… Continue lendo “O voluptuoso, o insolúvel: Liliana Herrera e a paixão-Cioran” – Rodrigo Menezes

O primeiro Cioran francês: Breviário, Silogismos e A Tentação de Existir | 10/07/2021 (ao vivo no YT)

Após uma apresentação biográfica dos anos romenos de Cioran (1911-1937), antes de expatriar-se na França, a próxima live temática abordará o primeiro Cioran francês. Data: 10/07/2021 (sábado)Horário: 18h00 (Brasil)URL de acesso: https://youtu.be/91Nq52wxUzg https://www.youtube.com/watch?v=91Nq52wxUzg Pode-se divisar sucessivas e distintas fases do pensamento de E.M. Cioran, o aclamado escritor de língua francesa. Liliana Herrera discerne dois momentos… Continue lendo O primeiro Cioran francês: Breviário, Silogismos e A Tentação de Existir | 10/07/2021 (ao vivo no YT)

Prefácio do livro de Liliana Herrera, “Cioran: lo voluptuoso, lo insoluble”, por Jaime Rubio Angulo

Espacio M. Liliana Herrera A. 🇨🇴

Cioran: lo voluptuoso, lo insoluble é o título – algo enigmático – deste novo trabalho de M. Liliana Herrera sobre o filósofo romeno. Cioran voluptuoso, insolúvel? Sem dúvida; sempre que descobrirmos o sentido destas categorias em desenvolvimento ao longo do texto. Categorias que vêm sublinhar a originalidade e a novidade deste trabalho realizado cara a cara com a exceção – no caso, Cioran. O voluptuoso e o insolúvel determinam o espaço de jogo da presente reflexão.

Este livro se apresenta como uma leitura da obra de Cioran. Leitura criativa que desdobra incessantemente horizontes de sentido. Outra observação para começar: a intepretação que nos oferece é da ordem do fragmento, isto é do intervalo; a interpretação é um jogo que se joga entre o voluptuoso e o insolúvel. Não se trata de um sentido construído tematicamente, mas antes composto musicalmente. Basta ver o título das partes que compõem esta obra.


“Há…

Ver o post original 801 mais palavras