“O Corruptor” (E.M. Cioran)

“Como passaram tuas horas? A lembrança de um gesto, a marca de uma paixão, o fulgor de uma aventura, uma bela e fugaz demência – não há nada disto em teu passado; nenhum delírio leva teu nome, nenhum vício te honra. Passaste sem deixar vestígios; mas qual foi teu sonho?” – “Queria semear a Dúvida… Continue lendo “O Corruptor” (E.M. Cioran)