“Cioran não ficou imune aos equívocos políticos, o pecado original dos filósofos” (José Thomaz Brum)

O Globo, 20 de janeiro de 1996 A filosofia de Cioran não constitui uma arquitetura abstrata de conceitos ideais. Meditação fundamentalmente impura, deriva de um estado de espírito, de uma obsessão mais do que se uma ideia a priori. Filósofo que parte dos afetos, das "misérias do eu", Cioran conheceu, em sua reflexão errática, momentos… Continue lendo “Cioran não ficou imune aos equívocos políticos, o pecado original dos filósofos” (José Thomaz Brum)

“Paixão negativa, identidade negativa” – Ilinca ZARIFOPOL-JOHNSTON

Schimbarea la față a României foi publicado na primavera de 1936, quase ao mesmo tempo que Yoga, de Mircea Eliade. Numa carta a Cioran, que levava então uma vida infeliz como professor de um colégio em Braşov - tendo, para sua ainda maior infelicidade, servido ao exército do outono de 1935 à primaveira de 1936… Continue lendo “Paixão negativa, identidade negativa” – Ilinca ZARIFOPOL-JOHNSTON