“Menina tomou choque na vagina, ânus e boca”: relato de ex-militar sobre tortura e execuções na ditadura | UOL (19/04/2022)

O soldado reformado Valdemar Martins de Oliveira, 70 anos, serviu na Brigada Paraquedista, na Vila Militar, do Rio de Janeiro, e trabalhou, ao longo do ano de 1968, como um espião da ditadura militar e trabalhou com alguns dos agentes mais violentos das Forças Armadas no período. Em entrevista à coluna, ele relatou como presenciou… Continue lendo “Menina tomou choque na vagina, ânus e boca”: relato de ex-militar sobre tortura e execuções na ditadura | UOL (19/04/2022)

“Temos ódio à ditadura, ódio e nojo” – Ulysses GUIMARÃES

"Hoje, 5 de outubro de 1988, no que tange à Constituição, a nação mudou", dizia sob aplausos Ulysses Guimarães, presidente da Assembleia Nacional Constituinte, em uma sessão solene e histórica do Congresso quando se promulgou a Carta que rege o Brasil atualmente. https://www.youtube.com/watch?v=NY2HbpKhnTU O discurso de Ulysses é considerado um dos mais marcantes da história da república… Continue lendo “Temos ódio à ditadura, ódio e nojo” – Ulysses GUIMARÃES

“Carl Schmitt e a política da violência: amigo e inimigo” – Byung-Chul HAN

Segundo Carl Schmitt, a essência da política é a distinção entre amigo e inimigo. O pensar político e o instinto político nada mais significam do que a “capacidade de distinguir entre amigo e inimigo”. “Amigo/inimigo” não é um código binário usual que diferencia o sistema político de outros sistemas, pois o político não é um… Continue lendo “Carl Schmitt e a política da violência: amigo e inimigo” – Byung-Chul HAN

“É preciso erradicar a tendência em acreditar que há línguas melhores que outras” – Barbara CASSIN

Revista IHU On-line, 29 de junho de 2017 O conceito de globish surge em meu livro Los intraducibles [Os intraduzíveis]. Escrevi isto porque comecei a perceber na Europa o surgimento de dois inimigos: por um lado precisamente o globish, ou seja, a homogeneização através de uma não língua, melhor dito, de uma língua de ninguém, que se pode perceber como… Continue lendo “É preciso erradicar a tendência em acreditar que há línguas melhores que outras” – Barbara CASSIN