“Os filtros do esquecimento” (Clément Rosset)

Num livro recente, um autor contemporâneo, homem moral, bem pensante e bom católico, não deixava em mistério o critério principal que diferencia, a seus olhos, o homem valioso do rebanho medíocre dos seres humanos. Graças à existência desses homens de boa vontade, estimava o nosso autor, ainda há sobre a terra, apesar do que se… Continue lendo “Os filtros do esquecimento” (Clément Rosset)

“Clément Rosset, el profeta de lo real” (Fernando Savater)

El País, 30 marzo 2018 El filósofo francés que teorizó la yuxtaposición de lo real y su doble fallece en París a los 78 años Hay filósofos recomendables y otros que no lo son. Los primeros enseñan a pensar bien, a pensar el bien, defienden las buenas causas, denuncian la explotación, alarman a los gobiernos… Continue lendo “Clément Rosset, el profeta de lo real” (Fernando Savater)

Revista Trágica: edições temáticas Clément Rosset (in memoriam) [1]

Revista Trágica: estudos de filosofia da imanência, Rio de Janeiro, v. 12, nº 1, 2019 Editorial Clément Rosset, in memoriam: um testemunho Nos idos de 1987, comecei a ler Clément Rosset, entre os 18 e 19 anos de idade, na graduação, no texto original francês, com o saudoso Fernando José Fagundes Ribeiro, que viria logo… Continue lendo Revista Trágica: edições temáticas Clément Rosset (in memoriam) [1]

Sobre duplos, (des)ilusões e a “idiotia do real”: Clément Rosset

Nada mais frágil do que a faculdade humana de admitir a realidade, de aceitar sem reservas a imperiosa prerrogativa do real. Esta faculdade falha tão frequentemente que parece razoável imaginar que ela não implica o reconhecimento de um direito imprescritível -- o do real a ser percebido --, mas representa antes uma espécie de tolerância,… Continue lendo Sobre duplos, (des)ilusões e a “idiotia do real”: Clément Rosset