“O último dândi”: entrevista de Cioran com Fernando Savater

Paris, outubro de 1990 - Ele completará, em breve, oitenta anos, e segue tão vivaz e alerta como sempre. Ninguém menos mórbido do que ele, ninguém menos lúgubre ou fastidiosamente solene. O melhor elogio a ele que me vem à cabeça é que não posso imaginá-lo “professor”: nasceu sem cátedra assim como outros a levam… Continue lendo “O último dândi”: entrevista de Cioran com Fernando Savater