“Demiurgia verbal” (E.M. Cioran)

Emil CIORAN. “Demiurgia verbal” (Démiurgie verbale), La tentation d’éxister, in « Ouvres ». Paris: Gallimard, 1956. Tradução: Rodrigo Inácio Ribeiro Sá Menezes. Texto publicado na revista de tradução N.T. (Nota do Tradutor), no. 9, novembro de 2014. Agradecimentos especiais a Gleiton (N. T.) Link para a fonte do texto (PDF): NT9 O TEXTO: Publicado na França em 1956,… Continue lendo “Demiurgia verbal” (E.M. Cioran)

“Urgência do pior” – CIORAN

(n.t.) Nota do Tradutor, nr. 9, novembro de 2014. Link para a fonte do texto (PDF): NT9 O TEXTO: Publicado na França em 1979, Écartèlement (“Esquartejamento”) é um dos últimos livros de E. M. Cioran (1911-1995), no qual seu estilo francês já se encontra bastante maturado. É composto tanto por aforismos quanto por ensaios mais dissertativos,… Continue lendo “Urgência do pior” – CIORAN

“Emil Cioran e a escritura de si” – Rodrigo MENEZES

Em seu artigo “O ensaio como forma”, Adorno diz que “ainda hoje, elogiar alguém como écrivain é o suficiente para excluir do âmbito acadêmico aquele que está sendo elogiado”.[2] Este parece ser o caso de Emil Cioran, tão frequentemente classificado como um escritor, pura e simplesmente, o que tende a perder de vista o valor… Continue lendo “Emil Cioran e a escritura de si” – Rodrigo MENEZES

“A frivolidade de um apóstolo da desilusão” (Marcelo Coelho)

Caderno Mais!, Folha de São Paulo, 26 de novembro de 2000 Cioran une petulância e melancolia nos textos de "Exercícios de admiração", que analisa autores como Valéry e Beckett. Em qualquer tempo e em qualquer lugar há motivos de sobra para o pessimismo. Existem épocas, entretanto, em que essa atitude se torna especialmente charmosa e… Continue lendo “A frivolidade de um apóstolo da desilusão” (Marcelo Coelho)