“Emil Cioran e Albert Cossery, entre a dor e a alegria de existir”: entrevista com Belén Nava Valdés (UAEMéx)

Com Cioran descobri que havia uma outra forma de “fazer filosofia”. Mais do que ler um pensador, aproximo-me de Cioran numa tentativa, sempre interminável, de autocompreensão.Belén N. Valdés Belén Nava Valdés é formada em Filosofia e Antropologia Social pela Universidad Autónoma del Estado de México (UAEMéx). Leciona no Instituto Politécnico Nacional (IPN). É mestranda em… Continue lendo “Emil Cioran e Albert Cossery, entre a dor e a alegria de existir”: entrevista com Belén Nava Valdés (UAEMéx)

Conversaciones con Cioran: las 3 preguntas de Bernard-Henri Lévy

L’existence posthume es el título con el que se publicaron las respuestas de varios escritores y filósofos a las preguntas formuladas en otoño de 1991 por la revista La règle du jeu (dirigida por Bernard-Henri Lévy). Se publicaron en el número 6, enero de 1992, y se reprodujeron en L ’événement du jeudi, número 315,… Continue lendo Conversaciones con Cioran: las 3 preguntas de Bernard-Henri Lévy

“Ne te quaesiveris extra: Bloom, Cioran e a autodependência” – Rodrigo Menezes

Apenas dura aquilo que foi concebido na solidão, diante de Deus, quer sejamos crentes quer não.CIORAN, Do inconveniente de ter nascido, p. 54. Crer em Deus nos dispensa de crer em qualquer outra coisa – o que é uma vantagem inestimável. Sempre invejei os que creem nele, ainda que crer-se Deus me pareça mais fácil do… Continue lendo “Ne te quaesiveris extra: Bloom, Cioran e a autodependência” – Rodrigo Menezes

A diferença entre místicos e santos – CIORAN

A diferença entre místicos e santos. Os primeiros se limitam à visão interior; os últimos a realizam na prática. A santidade extrai as consequências da mística, especialmente as éticas. Um santo é um místico; um místico pode não ser um santo. A caridade não é necessariamente um atributo do místico; Sem ela, por outro lado,… Continue lendo A diferença entre místicos e santos – CIORAN

“«Dialética da indolência»: heresia e idiotismo contra a tirania da positividade tóxica” – Rodrigo Menezes

Quis suprimir em mim as razões que os homens invocam para existir e para agir. Quis tornar-me indizivelmente normal – e eis-me aqui, no embrutecimento, no mesmo plano que os idiotas e tão vazio como eles.CIORAN, Breviário de decomposição, p. 62 Ser mais inutilizável que um santo...CIORAN, Silogismos da amargura, p. 75 Cioran e Byung-Chul… Continue lendo “«Dialética da indolência»: heresia e idiotismo contra a tirania da positividade tóxica” – Rodrigo Menezes

Itinerarium Musicae in Delirium: “What You Don’t Know Is Frontier”, a música drone de ASVA

"Eu abuso da palavra Deus. Utilizo-a com frequência, demasiada frequência. Faço-o toda vez que toco um limite e preciso de uma palavra para designar o que vem depois. Prefiro Deus ao inconcebível." CIORAN, Aveux et anathèmes (1987) ASVA é um projeto de música experimental criado nos EUA por G. Stuart Dahlquist, com uma formação rotativa… Continue lendo Itinerarium Musicae in Delirium: “What You Don’t Know Is Frontier”, a música drone de ASVA

“Uma reflexão inédita sobre (contra) a Imagem, de E.M. Cioran” – Rodrigo Menezes

Acabo de escrever, para uma obra coletiva, um breve texto sobre a imagem, ou antes, contra a imagem, e que poderia ter sido assinado pelo crente mais ortodoxo. E, contudo, nunca estive tão distante de qualquer conversão que seja. É um “impulso” místico proveniente de certos estados febris que experimento de vez em quando.E.M. Cioran… Continue lendo “Uma reflexão inédita sobre (contra) a Imagem, de E.M. Cioran” – Rodrigo Menezes

“Lenguaje interior y aforismo: una analogía” (M. Liliana Herrera A.)

In: HERRERA A., M. Liliana; ABAD T., Alfredo A. (orgs). Cioran en perspectivas. Pereira: Universidad Tecnológica de Pereira, 2009, p. 235-253. [Pdf] Dentro de la investigación llevada a cabo por Vygotsky acerca del pensamiento y el lenguaje, queremos retomar el tema del lenguaje interior para establecer un paralelo entre los planteamientos del psicólogo ruso y… Continue lendo “Lenguaje interior y aforismo: una analogía” (M. Liliana Herrera A.)

“Cioran y el instinto religioso: la no rendición” – Liliana HERRERA

In: HERRERA A., M. Liliana; ABAD T., Alfredo A. (orgs). Cioran: ensayos críticos. Pereira: Universidad Tecnológica de Pereira, 2008, p. 208-225. ¡La pasión de lo absolutoen un alma escéptica!Cioran En su artículo Le démon cioranien et dieu, Ariana Bălaşa señala que la confrontación que Cioran sostiene con Dios “ha preocupado a muchos pensadores rumanos y… Continue lendo “Cioran y el instinto religioso: la no rendición” – Liliana HERRERA

Ceticismo, fragmento e lucidez: “Emil Cioran. A Filosofia como Desfascinação e a Escritura como Terapia”, de Vincenzo Fiore [IV] – Rodrigo MENEZES

A ideia do suicídio e a escritura filosófica como auto-análise Perguntam-me: “Você está trabalhando? – Sim, num artigo sobre o suicídio.” – Minha resposta tira das pessoas a vontade de saber mais.[1] Trata-se, por fim, do último desafio da lucidez: a permanência e a perseverança na vida quando esta é entendida como um “estado de… Continue lendo Ceticismo, fragmento e lucidez: “Emil Cioran. A Filosofia como Desfascinação e a Escritura como Terapia”, de Vincenzo Fiore [IV] – Rodrigo MENEZES