“O mundo tem de recomeçar” – CIORAN

ALGUÉM terá de sair um dia sob o sol e gritar para seu esplendor e para as trevas dos homens: “O mundo tem de recomeçar, o mundo tem de recomeçar!”Será necessário encontrar um emissário de um mundo novo que assuma todos os riscos da grande nova, que se esgote gritando em todas as direções da… Continue lendo “O mundo tem de recomeçar” – CIORAN

“O criador paroxismo da ilusão – amor” (Juan Pablo Enos Santana Santos)

RESUMO: O filósofo e ensaísta Emil Cioran é constantemente lembrado pelo seu ceticismo, lucidez, desespero e pessimismo. No entanto, mostro nesta comunicação as diversas formas em que o amor, de carácter individual e criador, aparece em seus dois primeiros escritos de juventude. Neste momento, Cioran vê o amor como fonte vital de transfiguração. Em sua […]… Continue lendo “O criador paroxismo da ilusão – amor” (Juan Pablo Enos Santana Santos)

“Filosofia, cristianismo e outras formas de queda” (Emil Cioran)

COMO A VIDA SE CONVERTE NO VALOR SUPREMO: a veneração pelas mulheres; a reabilitação do Eros como divindade; saúde natural, transfigurada pela delicadeza; o fervor da dança em todos os atos da vida; graça em vez de pesar; sorriso em vez de pensamento; entusiasmo em vez de paixão; a distância como finitude; a vida como único… Continue lendo “Filosofia, cristianismo e outras formas de queda” (Emil Cioran)

“A força maior” – Clément ROSSET

"Os deuses ocultaram o que faz viver os homens." Hesíodo UMA DAS MARCAS mais seguras da alegria é, para empregar um qualitativo com ressonâncias desagradáveis sob vários aspectos, seu caráter totalitário. O regime da alegria é o do tudo ou nada: não há alegria senão total ou nula (e acrescentarei, antecipando o que virá a… Continue lendo “A força maior” – Clément ROSSET

“O religioso, questão de intensidade” (Emil Cioran)

O RELIGIOSO não é uma questão de conteúdo, mas de intensidade. Deus determina-se como momento de nossos frenesis, e o mundo que habitamos torna-se raramente objeto da sensibilidade religiosa, pelo fato de que pensar só é possível nos instantes neutros. Sem "febre", não ultrapassamos o campo da percepção -- o que equivale a dizer que… Continue lendo “O religioso, questão de intensidade” (Emil Cioran)

“As revelações da morte” – CHESTOV

DOSTOIEVSKY CUMPRIU A PENA; terminou, também, o serviço militar. Está em Tver, e depois em Petersburgo. Tudo quanto espera se realiza. Sobre ele estende-se a imensa cúpula celeste. É um homem livre, como aqueles cuja sorte invejara, quando acorrentado. Resta-lhe pôr em prática as promessas que a si próprio fez. Devemos acreditar que Dostoievsky não… Continue lendo “As revelações da morte” – CHESTOV

“Morrer de entusiasmo” – CIORAN

QUE NOSSA ALMA MORRA DE ENTUSIASMO; que todos morramos de entusiasmo. Que o ímpeto de viver seja irresistível e que o inflame o desespero. Que nossa missão se acabe em uma última palpitação, na grande palpitação de nosso entusiasmo. Se não morremos de entusiasmo, nenhum de nós terá vivido. Que esse entusiasmo se transforme em… Continue lendo “Morrer de entusiasmo” – CIORAN

“Cioran e o entusiasmo como forma de vida” – Rodrigo MENEZES

É difícil imaginarmos um mundo em que todos amassem tudo. Um mundo de entusiastas oferece uma imagem mais sedutora do que a imagem do paraíso, pois a tensão sublime e a generosidade radical ultrapassam qualquer visão paradisíaca. A capacidade de renascimento contínuo, de transfiguração e intensificação da vida faz do entusiasta uma pessoa permanentemente além… Continue lendo “Cioran e o entusiasmo como forma de vida” – Rodrigo MENEZES

“Entusiasmo como forma de amor” – CIORAN

O desespero: forma negativa do entusiasmo.CIORAN, O livro das ilusõesEntusiasmo (do grego in + theos, literalmente 'em Deus'), originalmente significava inspiração ou possessão por uma entidade divina ou pela presença de Deus. Atualmente, pode ser entendido como um estado de grande arrebatamento e alegria. Uma pessoa entusiasmada está disposta a enfrentar dificuldades e desafios, não se deixando abater e transmitindo confiança aos demais ao seu redor.… Continue lendo “Entusiasmo como forma de amor” – CIORAN