“Walter Benjamin, leitor de Baudelaire: o poeta contra a multidão e a emergência da modernidade” – Marcos MESSERSCHMIDT

Revista Pólemos, UnB, v. 10 n. 20 (2021) RESUMO: A partir da análise da obra literária de Marcel Proust e, principalmente, da obra poética de Charles Baudelaire, além de textos filosóficos de Henri Bergson e Sigmund Freud, Walter Benjamin desenvolve, em Sobre alguns motivos na obra de Baudelaire, alguns conceitos-chave, como “experiência” (Erfahrung), “choque” e “vivência”… Continue lendo “Walter Benjamin, leitor de Baudelaire: o poeta contra a multidão e a emergência da modernidade” – Marcos MESSERSCHMIDT

“Tempo sem experiência” – Olgária MATOS

Uma reflexão sobre o tempo sem experiência da contemporaneidade. Como a atual aceleração da sociedade cria a sensação de que não há tempo para nada. Na realidade, são os próprios mecanismos sociais e econômicos que necessitam dessa situação. As diferenças entre tédio e monotonia podem caracterizar diferentes formas de se relacionar com o tempo. A… Continue lendo “Tempo sem experiência” – Olgária MATOS