Filosofia da Animalidade, Vitalismo e Mortalismo, Cioran na Argentina e o “Nada Sulamericano”: em diálogo com Gustavo Romero (Argentina)

A terceira live tertúlia de 2021, realizada em 28 de maio e transmitida no YouTube, contou com a presença de Gustavo Romero, filósofo e professor da Universidad de Buenos Aires (UBA) https://www.youtube.com/watch?v=l4vjoZiGGbI&t=5411s Além dos comentários contextuais e metateóricos acerca da recepção da obra de Cioran na Argentina, dentro e fora da Academia, Gustavo teceu importantes… Continue lendo Filosofia da Animalidade, Vitalismo e Mortalismo, Cioran na Argentina e o “Nada Sulamericano”: em diálogo com Gustavo Romero (Argentina)

Cioran e o “Nada sulamericano”, a fascinação do Tango e a Filosofia como desfascinação: Live Tertúlia com Gustavo ROMERO (Argentina)

Cioran manteve estreitas ligações intelectuais e afetivas com a Argentina, entre outros países nas periferias da Europa, de onde ele nunca saiu (diferentemente de Camus e outros). Fez amizade com Ernesto Sabato, que o visitava em Paris, e que dedicaria um capítulo em sua autobiografia, Antes do Fim, à memória do amigo romeno. No seu… Continue lendo Cioran e o “Nada sulamericano”, a fascinação do Tango e a Filosofia como desfascinação: Live Tertúlia com Gustavo ROMERO (Argentina)

“Le réel finit toujours par prendre sa revanche”: entretien avec Clément ROSSET

Alexandre Lacroix : Qu’est-ce qu’un morceau de camembert ? Clément Rosset : Mon ami et collègue Vincent Descombes m’a dit, un jour : « Toi, tu es un théologien du camembert. Â» On a la théologie qu’on peut… Il faisait allusion à cette page de mon essai L’Objet singulier (1979), où je pastiche le passage de la deuxième méditation de Descartes… Continue lendo “Le réel finit toujours par prendre sa revanche”: entretien avec Clément ROSSET

“Entre o esgotamento e o devir” (André Fogliano)

Galaxia (São Paulo, Online), n. 29, p. 308-313, jun. 2015 PELBART, P-P. O avesso do niilismo: cartografias do esgotamento. São Paulo: N-1 Edições, p.345, 2013. Resumo: O avesso do niilismo é um rigoroso diagnóstico dos afetos que o governo niilista da vida aciona. O objetivo do estudo é, a partir da relação entre niilismo e… Continue lendo “Entre o esgotamento e o devir” (André Fogliano)

“Cioran não ficou imune aos equívocos políticos, o pecado original dos filósofos” (José Thomaz Brum)

O Globo, 20 de janeiro de 1996 A filosofia de Cioran não constitui uma arquitetura abstrata de conceitos ideais. Meditação fundamentalmente impura, deriva de um estado de espírito, de uma obsessão mais do que se uma ideia a priori. Filósofo que parte dos afetos, das "misérias do eu", Cioran conheceu, em sua reflexão errática, momentos… Continue lendo “Cioran não ficou imune aos equívocos políticos, o pecado original dos filósofos” (José Thomaz Brum)

“No inferno, com Foucault” (Fabiano Maisonnave)

REVISTA PIAUÍ, no. 152, maio 2019 Eram três da tarde de 21 de março, quinta-feira, quando a mestranda em letras Cris Guimarães Cirino da Silva iniciou a apresentação do resumo de sua futura dissertação num seminário interno na Universidade Federal do Amazonas (Ufam), em Manaus. Para duzentas pessoas, ela projetou na tela o título provisório… Continue lendo “No inferno, com Foucault” (Fabiano Maisonnave)

“Barthes, Cioran, Bataille et ‘la transcendence’ qui ne cesse de s’écrire… de l’autre à l’absolument autre” (Gabriel Popescu)

Cahiers Emil Cioran - Approches Critiques, VII, Editura Universităţii "Lucian Blaga" (Sibiu); Les Sept Dormants (Leuven), 2006 Argument Inspire par "l'interminable", "l'incessant'" dans la theorisation obsessive de Blanchot -- à observer que la demarche qui suivra se situera dans la trace de l'auteur de l'Espace litteraire sans que, pour autant, elle ait la pretention d'etre… Continue lendo “Barthes, Cioran, Bataille et ‘la transcendence’ qui ne cesse de s’écrire… de l’autre à l’absolument autre” (Gabriel Popescu)

“The Nihilist as a Not-Man. An Analysis of Psychological Inhumanity” (Ştefan Bolea)

Philobiblon - Transylvanian Journal of Multidisciplinary Research in Humanities, vol. 1, no. 1, January 2015 “I was man and I no longer am now…” (E.M. Cioran, The Twilight of Thoughts) Abstract: A new philosophical and psychological concept is needed for the alienated and radically different human being according to the nihilist Romanian-French philosopher E.M. Cioran.… Continue lendo “The Nihilist as a Not-Man. An Analysis of Psychological Inhumanity” (Ştefan Bolea)

“A coragem da verdade: a relevância da arte-de-viver de Diógenes, o ‘Cão’, segundo Michel Foucault, Emil Cioran e Luis Navia” (Eduardo Carli de Moraes)

A CASA DE VIDRO

Se viver é uma arte, Diógenes certamente merece ser reconhecido como um dos mais radicais experimentadores neste campo, o da estética da existência.

 

O lendário filósofo que morava em um tonel e confrontava todos os valores vigentes com atitudes excêntricas e bizarras tornou-se uma das figuras mais memoráveis da cultura grega no período posterior à execução de Sócrates. É o tataravô de todos os hippies, de todos os punks, de todos os anarquistas, de toda sorte de comportamentos e doutrinas contraculturais, que vão na contracorrente de seu tempo, expandindo os limites do que é possível realizar com nossas liberdades.

Conta-se que “a ideia de um tonel como residência ocorreu-lhe depois de observar caracóis carregando suas casas – as conchas – nas costas”, como lembra Navia em seu livro Diógenes – O Cínico (Ed. Odysseus, p. 49). Célebre por seu despojamento material que o tornava parecido com um mendigo seminu, que…

Ver o post original 6.621 mais palavras

“Léon Chestov et la pensée du dehors” (Ramona Fotiade)

Europe - Revue Littéraire Mensuelle, 87e année, n° 960 / avril 2009. BIEN AVANT Foucault, Deleuze et Derrida, il y eut, au début du siècle à peine révolu, qui allait si singulièrement faire basculer nos repères et nos certitudes, un de ces « partisans », « francs-tireurs » ou « aventuriers de la pensée »… Continue lendo “Léon Chestov et la pensée du dehors” (Ramona Fotiade)