“O paradoxo do ateu-crente. Vinte e cinco anos da morte do filósofo romeno Emil Cioran” (Gabriele Nicolo)

INSTITUTO HUMANITAS UNISINOS, 18 de junho de 2020 "O paradoxo informa e permeia o pensamento de Cioran. É desarmante a leitura que ele oferece do suicídio, entendido não como uma expressão extrema de desespero, mas, ao contrário, uma ferramenta que permite a vida. Isso é possível na medida em que a existência é percebida como… Continue lendo “O paradoxo do ateu-crente. Vinte e cinco anos da morte do filósofo romeno Emil Cioran” (Gabriele Nicolo)