“Os crentes e sua necessidade de crer” – NIETZSCHE

Os crentes e sua necessidade de crer. — O quanto de fé alguém necessita para crescer, o quanto de “firme”, que não quer ver sacudido, pois nele se segura — eis uma medida de sua força (ou, falando mais claramente, de sua fraqueza). Na velha Europa de hoje, parece-me que a maioria das pessoas ainda… Continue lendo “Os crentes e sua necessidade de crer” – NIETZSCHE

Sobre saúde e doença na Gaia Ciência (prólogo) – NIETZSCHE

1. Talvez não baste somente um prólogo para este livro; e, afinal, restaria sempre a dúvida de que alguém que não tenha vivido algo semelhante possa familiarizar-se com a vivência deste livro mediante prólogos. Ele parece escrito na linguagem do vento que dissolve a neve: nele há petulância, inquietude, contradição, atmosfera de abril, de maneira… Continue lendo Sobre saúde e doença na Gaia Ciência (prólogo) – NIETZSCHE

“Emil Cioran e Albert Cossery, entre a dor e a alegria de existir”: entrevista com Belén Nava Valdés (UAEMéx)

Com Cioran descobri que havia uma outra forma de “fazer filosofia”. Mais do que ler um pensador, aproximo-me de Cioran numa tentativa, sempre interminável, de autocompreensão.Belén N. Valdés Belén Nava Valdés é formada em Filosofia e Antropologia Social pela Universidad Autónoma del Estado de México (UAEMéx). Leciona no Instituto Politécnico Nacional (IPN). É mestranda em… Continue lendo “Emil Cioran e Albert Cossery, entre a dor e a alegria de existir”: entrevista com Belén Nava Valdés (UAEMéx)

“Lazer e ócio” – NIETZSCHE

Há uma selvageria pele-vermelha, própria do sangue indígena, no modo como os americanos buscam o ouro: e a asfixiante pressa com que trabalham — o vício peculiar ao Novo Mundo — já contamina a velha Europa, tornando-a selvagem e sobre ela espalhando uma singular ausência de espírito. As pessoas já se envergonham do descanso; a… Continue lendo “Lazer e ócio” – NIETZSCHE

“O sentido de nossa jovialidade” – NIETZSCHE

O maior acontecimento recente — o fato de que “Deus está morto”, de que a crença no Deus cristão perdeu o crédito — já começa a lançar suas primeiras sombras sobre a Europa. Ao menos para aqueles poucos cujo olhar, cuja suspeita no olhar é forte e refinada o bastante para esse espetáculo, algum sol… Continue lendo “O sentido de nossa jovialidade” – NIETZSCHE

“Aos pregadores de moral” – NIETZSCHE

Eu não quero estabelecer moral, mas para os que o fazem dou este conselho: se quiserem despojar as melhores coisas e estados de toda honra e valor, continuem a tê-las na língua, como fizeram até agora! Ponham-nas na frente de sua moral e discorram, da manhã à noite, sobre a felicidade da virtude, o sossego… Continue lendo “Aos pregadores de moral” – NIETZSCHE

“Prosa e Poesia” – NIETZSCHE

Observe-se que os grandes mestres da prosa foram quase sempre poetas também, seja publicamente ou apenas em segredo e “para os íntimos”; e, de fato, apenas em vista da poesia se escreve boa prosa! Pois esta é uma ininterrupta e amável guerra com a poesia: todo o seu charme consiste em que a poesia é… Continue lendo “Prosa e Poesia” – NIETZSCHE

“Os seguidores de Schopenhauer” – NIETZSCHE

Os seguidores de Schopenhauer. — O que se percebe no contato entre povos civilizados e bárbaros: que normalmente a cultura inferior começa por tomar os vícios, fraquezas e excessos da superior, a partir daí sente alguma atração por esta e, enfim, mediante os vícios e fraquezas adquiridos, também recebe algo da força valiosa da cultura… Continue lendo “Os seguidores de Schopenhauer” – NIETZSCHE

“Providência pessoal” – Friedrich NIETZSCHE

Providência pessoal. — Existe, na vida, um certo ponto alto: ao atingi-lo corremos novamente, com toda a nossa liberdade, e por mais que tenhamos negado ao belo caos da existência toda razão boa e solícita, o grande perigo da servidão espiritual, e temos ainda a nossa mais dura prova a prestar. Pois é então que… Continue lendo “Providência pessoal” – Friedrich NIETZSCHE

“O que é Romantismo?” – Friedrich NIETZSCHE

370. O que é romantismo? — Talvez seja lembrado, ao menos entre meus amigos, que de início me lancei sobre esse mundo moderno com alguns grossos erros e superestimações, e em todo caso com esperanças. Eu compreendi — quem sabe a partir de que vivências pessoais? — o pessimismo filosófico do século XIX como sintoma… Continue lendo “O que é Romantismo?” – Friedrich NIETZSCHE