Resenha: “A religião gnóstica” de Hans Jonas (primeira edição portuguesa) – Rodrigo MENEZES

Surge pela primeira vez em língua portuguesa, publicado pela editora da Universidade de Lisboa, com tradução de Ana Maria Pereirinha, o seminal livro de Hans Jonas sobre gnosticismo, fruto do seu doutorado orientado por Martin Heidegger, no qual Jonas se propunha a fazer uma leitura existencialista da heresia gnóstica e, inversamente, uma leitura gnóstica do… Continue lendo Resenha: “A religião gnóstica” de Hans Jonas (primeira edição portuguesa) – Rodrigo MENEZES

Publicidade

“Harold Bloom: a crítica literária como salvaguarda da humanidade em meio à intempérie” – Sigifredo Esquivel MARÍN

Presenciamos a banalização de todas as coisas, pessoas e experiências. Tudo vale o mesmo, ou seja, nada vale mais ou menos, nada importa efetivamente, e assim o mercado acaba por impor os seus critérios e cânones. Por isso, nesta era de uniformidade cinzenta, exceções e singularidades tendem a se diluir em tons soft, assépticos e… Continue lendo “Harold Bloom: a crítica literária como salvaguarda da humanidade em meio à intempérie” – Sigifredo Esquivel MARÍN

“Los senderos de la sabiduría de la cábala” – Amparo ALBA

Fundación Juan March, 24 de abril de 2018 Las diez sefirot constituyen el árbol de la vida, una estructura cósmica utilizada por los cabalistas como vía mística para ascender desde lo terrenal hacia el mundo de la divinidad. Este saber, junto a otros de carácter oculto, se transmitieron de generación en generación a través de… Continue lendo “Los senderos de la sabiduría de la cábala” – Amparo ALBA

Gnosticismo – Luiz Costa Lima

Folha de S. Paulo, 1 de agosto de 1999 A aproximação não estranhará quem recorde as constantes referências do escritor a Basílides, as eventuais a Carpócrates e a Valentino, bem como a nomeação direta da gnose e do gnosticismo na primeira fonte clássica de conhecimento da seita, o "Adversus Haereses", de Irineu. Ao fazê-las, Borges… Continue lendo Gnosticismo – Luiz Costa Lima

“Uma breve história do tempo verdadeiro” – Peter SLOTERDIJK

Segundo uma palavra de Adolf von Harnack, a gnose significa a helenização aguda do cristianismo. Isso continuaria sendo uma observação profunda, mesmo se conseguissem comprovar as hipóteses da origem não cristã da gnose. Pois independentemente de onde a gnose possa ter surgido — no judaísmo herético-apocalíptico, no dualismo iraniano, num platonismo orientalizado, na hermética ou… Continue lendo “Uma breve história do tempo verdadeiro” – Peter SLOTERDIJK

“Hurqalya” – Harold BLOOM

The greatest Sufi authority on the Resurrection Body was Shaikh Ahmad Ahsa’i, who died in 1826, and who developed fundamental ideas of Avicenna, the great Persian philosopher of Islam in the eleventh century. Avicenna, in his “visionary recitals,” argued for what he called “the oriental philosophy,” a Hermetic angelology that posited a middle reality between… Continue lendo “Hurqalya” – Harold BLOOM

“Há poetas gnósticos?” – Claudio WILLER

Revista Terceira Margem - Programa de Pós-graduação em Ciência da Literatura da UFRJ, vol. 19, no. 31, 2015 Resumo: O presente ensaio retoma o que já escrevi sobre gnosticismo e poesia, e sobre poetas gnósticos. Examina o trânsito entre doutrinas aparentemente opostas, a gnose pessimista e aquela otimista do Corpus Hermeticum. Reconhece que há mais poetas gnósticos;… Continue lendo “Há poetas gnósticos?” – Claudio WILLER

“Ensaio herético sobre a atualidade da gnose” (Otávio Velho)

Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 4, n. 8, p. 34-52, jun. 1998 Resumo: O objetivo desta comunicação é sugerir o interesse para os estudiosos da religião em examinar a hipótese da atualidade da gnose (ou do gnosticismo) a partir de recentes trabalhos do escritor Harold Bloom. Ao mesmo tempo, trata de colocar as possibilidades levantadas… Continue lendo “Ensaio herético sobre a atualidade da gnose” (Otávio Velho)