“A fraqueza de Deus” – Marilia FIORILLO

O que sabiam os gnósticos? A ponto de torná-los tão incômodos, indesejáveis, ameaçadores? Não eram segredos ocultos, fórmulas mágicas, amuletos encantados, abracadabras. O que os gnósticos conheciam era o poder da imaginação. Conheciam e punham em prática. Pois o gnosticismo é tudo, menos um quietismo. As nuances das doutrinas gnósticas são tantas que, até hoje,… Continue lendo “A fraqueza de Deus” – Marilia FIORILLO

“Qual é a ‘verdadeira igreja’?” – Elaine PAGELS

DURANTE QUASE 2 mil anos a tradição cristã preservou e reverenciou os escritos ortodoxos que denunciavam os gnósticos enquanto reprimiam — e destruíam — os escritos gnósticos. Agora, pela primeira vez, certos textos descobertos em Nag Hammadi revelam o outro lado da moeda: como os gnósticos denunciavam os ortodoxos. O Segundo Tratado do Grande Seth… Continue lendo “Qual é a ‘verdadeira igreja’?” – Elaine PAGELS

“Do ennui ao êxtase: Cioran e o sentimento religioso da existência” – Rodrigo MENEZES

Quanto mais perco minha fé no mundo, mais estou em Deus, sem crer nele. – Será uma doença misteriosa, ou uma nobreza do espírito e do coração, que te faz ser ao mesmo tempo cético e místico?CIORAN, Amurgul gândurilor [O Crepúsculo dos Pensamentos] (1940) A acusação de “irracionalismo” oculta, muitas vezes, a defesa de um… Continue lendo “Do ennui ao êxtase: Cioran e o sentimento religioso da existência” – Rodrigo MENEZES

“Gnosis: autoconhecimento como conhecimento de Deus” – Elaine PAGELS

(…) Tomé lhe diz: “Senhor, não sabemos para onde vais. Como podemos conhecer o caminho?” Diz-lhe Jesus: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém vem ao Pai a não ser por mim.” O EVANGELHO DE JOÃO, que contém esse trecho, é um livro notável que muitos gnósticos reclamam a si e utilizam… Continue lendo “Gnosis: autoconhecimento como conhecimento de Deus” – Elaine PAGELS

“O que a religião não é” – John GRAY

A ideia de que a religião é uma questão de crença é uma concepção estreita. Em que Homero "acreditava"? Ou os autores do Mahabharata? O conjunto de tradições a que os estudos ocidentais se referem como "hinduísmo" não apresenta qualquer credo predeterminado, como tampouco a mistura de religião popular e misticismo a que os mesmos… Continue lendo “O que a religião não é” – John GRAY

“John Gray e o equívoco do gnosticismo” – Rodrigo MENEZES

Em A alma da marionete (The Soul of the Marionette, 2015), John Gray dava indícios de compreender equivocadamente o assim-chamado "gnosticismo": a gnose da heresia gnóstica surgida no cristianismo primitivo, nos primeiros séculos da nossa era, e ressurgida na Idade Média, entre os cátaros e outros grupos religiosos sectários. Ele escreve: Hoje em dia, muitas… Continue lendo “John Gray e o equívoco do gnosticismo” – Rodrigo MENEZES

Gnosticismo e o Evangelho de Tomé: explorações interpretativas – Maria Aparecida de Andrade Almeida & Renan Baptistin Dantas

Relegens Thréskeia, vol.. 6, n. 1, 2017 Resumo: Após oferecer uma contextualização geral sobre o gnosticismo e sua relação com a biblioteca de Nag Hammadi, primeiramente buscaremos explorar a visão de Elaine Pagels – um paradigma nos estudos sobre Nag Hammadi – que enquadra sua análise na dualidade: ortodoxia versus heterodoxia (gnosticismo). Em segundo lugar… Continue lendo Gnosticismo e o Evangelho de Tomé: explorações interpretativas – Maria Aparecida de Andrade Almeida & Renan Baptistin Dantas

“Paleontologia”, de Cioran: uma meditação ascética sobre a carne e o esqueleto – Rodrigo Menezes

Paléontologie [Paleontologia] é um importante texto no conjunto da obra de Cioran, tanto pelo recorte temático quanto por sua peculiaridade estilística. O ensaio faz parte de Le mauvais démiurge (1969), o sexto livro escrito pelo pensador romeno em língua francesa (ainda inédito em língua portuguesa). Le mauvais démiurge é o quarto livro consecutivo de Cioran… Continue lendo “Paleontologia”, de Cioran: uma meditação ascética sobre a carne e o esqueleto – Rodrigo Menezes

“O Tradicionalista e o Gnóstico” – Rodrigo Menezes

Se nos buscamos fora de nós mesmos, encontraremos a catástrofe, erótica ou ideológica. Deve ser por isso que Ralph Waldo Emerson, em seu fundamental ensaio “Self-reliance” [Autodependência] (1840), observou que “viajar é o paraíso dos tolos”. [...] Buscar Deus fora do eu é cortejar os desastres do dogma, a corrupção institucional, a malfeitoria histórica e a crueldade.Harold BLOOM,… Continue lendo “O Tradicionalista e o Gnóstico” – Rodrigo Menezes

A angústia da influência – Harold BLOOM

A angústia da influência foi e continua sendo mal interpretado, de uma maneira medíocre. Qualquer leitor capaz deste livro, o que significa qualquer um com alguma sensibilidade literária e que não seja comissário nem ideólogo, de esquerda ou direita, verá que influência-angústia não se refere tanto aos precursores quanto é uma angústia realizada no e… Continue lendo A angústia da influência – Harold BLOOM