Cioran, o Nada e o Niilismo: Histórias coextensivas – Rodrigo MENEZES

“Que lástima que o nada tenha sido desvalorizado pelo abuso de filósofos indignos dele!”[1]CIORAN Numa entrevista em alemão, Cioran diz: “Não sou niilista: o nada é ainda um programa”,[2] pretendendo assim desvencilhar-se dessa etiqueta, tão frequentemente grudada nele. Cioran cultivou a inação, e viveu na recusa de todo programa: "por acaso respirar não é um?"… Continue lendo Cioran, o Nada e o Niilismo: Histórias coextensivas – Rodrigo MENEZES

Publicidade

“Sofística, performance, performativo” – Barbara CASSIN

ANAIS DE FILOSOFIA CLÁSSICA, vol. 3 nº 6, 2009 / tradução publicada em vol. 10 nº 20, 2016 RESUMO: “Como fazer coisas com palavras”, pergunta Austin. De certa forma, a sofística ou o discurso sofístico é o paradigma de um discurso que faz coisas com palavras. Não se trata, certamente, de uma simples ação “retórica”… Continue lendo “Sofística, performance, performativo” – Barbara CASSIN

Barbara Cassin : une heure en tête-à-tête avec la philosophe | Télérama

Depuis 2012, la rédaction de Télérama organise, à Paris, au Théâtre du Rond Point, Télérama Dialogue, une joyeuse journée de palabres et émulation intellectuelle avec 36 artistes, comédiens, penseurs, écrivains, musiciens et autres créateurs ravis d'y rencontrer nos lecteurs. Pour l'édition 2018, vous étiez plus de 7000 à venir rencontrer Jean Dujardin, Léa Salamé, Amélie… Continue lendo Barbara Cassin : une heure en tête-à-tête avec la philosophe | Télérama

“Sophistique, performance, performatif” – Barbara CASSIN

Anais de Filosofia Clássica - Revista do Programa de Pós-Graduação em Filosofia da UFRJ, vol. 3, n. 6, 2009 Resumo: “Como fazer coisas com palavras”, pergunta Austin. De certa forma, a sofística ou o discurso sofístico é o paradigma de um discurso que faz coisas com palavras. Não se trata, certamente, de uma simples ação… Continue lendo “Sophistique, performance, performatif” – Barbara CASSIN

“A atração pelo vazio” – Clément ROSSET

Cioran escreve isto, em Aveux et Anathèmes: “Mal perdemos um defeito e outro apressa-se em substituí-lo. Nosso equilíbrio existe a esse preço.” Quanto a mim, acrescentaria que seria preciso dizer o mesmo de toda tolice, de toda loucura, de toda paixão: nenhuma desaparece sem abrir caminho a outra que logo se apodera do lugar deixado… Continue lendo “A atração pelo vazio” – Clément ROSSET

“Aniquilação”, ou da Anti-Natureza – Rodrigo MENEZES

Revista Trágica: estudos de filosofia da imanência, Rio de Janeiro, v. 12, nº 2, p. 80-104, 2019. RESUMO: Trata-se de analisar o filme “Aniquilação” (2018) à luz da filosofia trágica de Clément Rosset (1939-2018), particularmente seu livro de 1973, A anti-natureza. Trata-se, ao mesmo tempo, de uma homenagem ao filósofo, que faleceu semanas após o… Continue lendo “Aniquilação”, ou da Anti-Natureza – Rodrigo MENEZES

“Como a política é uma questão de logos” [2/2] – Barbara CASSIN

Na República de Platão, em que política e ética se imbricam, submetidas à mesma idéia do Bem, a homonoia determinará uma das quatro virtudes características da alma do indivíduo bem como dessa alma ampliada que é a cidade: ela se definirá como sentido da hierarquia (IV, 432 a) e, com a justiça, virtude da estrutura,… Continue lendo “Como a política é uma questão de logos” [2/2] – Barbara CASSIN

“Como a política é uma questão de logos” [1/2] – Barbara CASSIN

O paradoxo começa a se explicar quando aceitamos regredir, para aquém de nossas antíteses modernas (democracia/conservadorismo, revolução/reação), à própria constituição da polis que marca o "milagre grego" do século V. Polis, logos, sofística: o caráter eminentemente político da sofística é, antes de tudo, um questão de logos, termo em que o grego liga, como se… Continue lendo “Como a política é uma questão de logos” [1/2] – Barbara CASSIN

“Tudo mais é literatura” – Barbara CASSIN

Atualmente, só se pode ser incompleto e alusivo; no melhor dos casos, programático. Com o triunfo da retórica sofística, entramos, de fato, em literatura. Como escrever fora dos dois grandes gêneros patenteados - quando não se é nem poeta nem filósofo? Uma inventividade exuberante e lábil se desdobra em mais de dois séculos, nessa Antigüidade… Continue lendo “Tudo mais é literatura” – Barbara CASSIN