Biografia de Cioran comentada e ilustrada: os anos romenos (1911-1937) | Live temática no YT

Começa-se normalmente pelo "segundo nascimento de Cioran", conforme se refere Patrice Bollon ao marco divisor da obra, o Breviário de decomposição, o premiado livro de estreia do autor romeno em língua francesa, desconhecendo em maior ou menor medida a biografia pregressa do pensador transilvano, muitas vezes ignorando que, antes de adotar o francês como língua… Continue lendo Biografia de Cioran comentada e ilustrada: os anos romenos (1911-1937) | Live temática no YT

“Cómo se fabrica un nazi” – Tomás Abraham

PERFIL, Argentina, 16 de mayo 2021 Tomás Abraham se pregunta en su último libro por qué vino de Rumania (y aun así se considera argentino), por qué sus padres se salvaron del genocidio de 350 mil judíos rumanos y por qué en su ciudad natal las sinagogas, sin daños aparentes, están cerradas con candados. Vacía.… Continue lendo “Cómo se fabrica un nazi” – Tomás Abraham

Cioran: “Política da Heresia Permanente” – Patrice BOLLON

"O jovem Cioran não é menos herético no plano político. Se a vontade de grandeza à qual ele incita parece encontrar sua ilustração 'natural' no hitlerismo dos anos 1933-35, ela pode muito bem comportar, para ele, um bolchevismo 'bem compreendido'. Todo Schimbarea [Transfiguração da Romênia] ressoa declarações de admiração a Lenin e à revolução russa,… Continue lendo Cioran: “Política da Heresia Permanente” – Patrice BOLLON

Cioran é reacionário?

« Seriez-vous réac ? – Si vous voulez, mais dans le sens où Dieu l’est. Â»CIORAN, Écartèlement (1979) « Vous êtes contre tout ce qu'on a fait depuis la dernière guerre, me disait cette dame à la page.Vous vous trompez de date. Je suis contre tout ce qu'on a fait depuis Adam. Â»CIORAN, De l'inconvénient d'être né (1973) Uma obra aforística,… Continue lendo Cioran é reacionário?

“Cioran, el filósofo del insomnio” (Charles Simic)

Revista Global, República Dominicana, n. 89 Giselle Rodríguez Cid traduce el ensayo «E. M. Cioran: el filósofo del insomnio» de Charles Simic, en el que expone los años de formación del filósofo rumano y sus desacertadas simpatías por movimientos totalitarios que, por el bien de la filosofía, logró superar. ¿Quién lee a Cioran hoy en… Continue lendo “Cioran, el filósofo del insomnio” (Charles Simic)

“Goles que nos pusieron en el mapa” (Carlos Rehermann)

Da la impresión de que Cioran habla de un Uruguay celestial como de un triángulo de cuatro lados, un conjunto vacío: simplemente instala en nuestra imaginación una idea obtusa o ridícula. Lo cierto es que no deja de tener cierta carga de agresividad o desprecio. Una Jerusalén celestial no es ridícula, ni una Grecia empírea,… Continue lendo “Goles que nos pusieron en el mapa” (Carlos Rehermann)

“A Romênia entre a História e a Europa” (Tony Judt)

A edição de fevereiro de 2000 da revista masculina Plai cu Boi de Bucareste apresenta uma certa princesa Brianna Caradja. Variando de adereços de couro a quase nada, ela aparece nas páginas centrais numa série de poses meio desfocadas, flagelando servos (masculinos) subservientes e semidespidos. Os rapazes submissos, envoltos em fumaça, cortam lenha, puxam trenós… Continue lendo “A Romênia entre a História e a Europa” (Tony Judt)

“Breviário de Decomposição: livro perigoso e essencial” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

Por que reunir-se em torno do Précis de décomposition – e celebrá-lo? Alguns diriam que não há nada aí a ser celebrado, muito pelo contrário. Cioran: pró e contra… Qual a importância do Breviário de decomposição, conforme o temos, desde 1989, primorosamente traduzido ao português pelo professor José Thomaz Brum? Qual sua importância hoje, para […]… Continue lendo “Breviário de Decomposição: livro perigoso e essencial” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

“30 anos da primeira edição brasileira do Breviário de Decomposição” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

"Encaminhar-se para o fim da história com uma flor na lapela: único traje apropriado no desenvolvimento do tempo. Que lástima que não haja um Juízo Final, que não tenhamos ocasião para um grande desafio!" (Breviário de decomposição) * "O final da história? O fim do homem? É sério pensar nisso? São acontecimentos longínquos que a… Continue lendo “30 anos da primeira edição brasileira do Breviário de Decomposição” (Rodrigo Inácio R. Sá Menezes)

“Cioran, ingênuo e sentimental”, de Ion Vartic – Rodrigo Inácio R. SÁ MENEZES

RESENHA: VARTIC, Ion. Cioran, ingenuo y sentimental. Trad. do romeno de Francisco Javier Marina (título original: "Cioran, naiv şi sentimental"). Zaragoza: Mira Editores, 2009. O ensaio de crítica literária e psicológica de Ion Vartic sobre Cioran parte das noções schillerianas de "ingênuo" e "sentimental" para definir o "tipo psicológico" do escritor romeno radicado em Paris.… Continue lendo “Cioran, ingênuo e sentimental”, de Ion Vartic – Rodrigo Inácio R. SÁ MENEZES