Le mauvais dĂ©miurge, livro inĂ©dito de Emil Cioran – Rodrigo InĂĄcio R. SĂĄ Menezes [PDF]

Apresentação deste importante livro de Cioran ainda inĂ©dito em lĂ­ngua portuguesa, tendo como pretexto argumentativo a resenha assinada por Gabriel Marcel, filĂłsofo existencialista cristĂŁo e amigo do autor romeno: "Um aliado na contracorrente" (Le Monde, 28 de junho de 1969). Trata-se de uma anĂĄlise compreensiva do livro, contextualizado no Ăąmbito do conjunto da obra de… Continue lendo Le mauvais dĂ©miurge, livro inĂ©dito de Emil Cioran – Rodrigo InĂĄcio R. SĂĄ Menezes [PDF]

“O voluptuoso, o insolĂșvel: Liliana Herrera e a paixĂŁo-Cioran” – Rodrigo Menezes

Hegel Ă© meu exato oposto. Hegel Ă© impensĂĄvel para mim, por mais que eu reconheça sua importĂąncia. Mas isso Ă© outra estĂłria. Tenho um amigo na RomĂȘnia, um especialista no pensamento de Hegel [Constantin Noica], que nĂŁo consegue ler minhas coisas, que nĂŁo me leva a sĂ©rio. NĂŁo obstante, muito embora tivesse uma mentalidade totalmente… Continue lendo “O voluptuoso, o insolĂșvel: Liliana Herrera e a paixĂŁo-Cioran” – Rodrigo Menezes

Prioridade, Autoridade, AngĂșstia da InfluĂȘncia – Harold BLOOM

Nietzsche e Freud sĂŁo, atĂ© onde me Ă© dado ver, as influĂȘncias bĂĄsicas na teoria da influĂȘncia apresentada neste livro. Nietzsche Ă© o profeta do antitĂ©tico, e sua Genealogia da moral Ă©o mais profundo estudo de que disponho das tensĂ”es revisionĂĄrias e ascĂ©ticas no temperamento estĂ©tico. As investigaçÔes por Freud dos mecanismos de defesa e… Continue lendo Prioridade, Autoridade, AngĂșstia da InfluĂȘncia – Harold BLOOM

“O Tradicionalista e o GnĂłstico” – Rodrigo Menezes

Se nos buscamos fora de nĂłs mesmos, encontraremos a catĂĄstrofe, erĂłtica ou ideolĂłgica. Deve ser por isso que Ralph Waldo Emerson, em seu fundamental ensaio “Self-reliance” [AutodependĂȘncia] (1840), observou que “viajar Ă© o paraĂ­so dos tolos”. [...] Buscar Deus fora do eu Ă© cortejar os desastres do dogma, a corrupção institucional, a malfeitoria histĂłrica e a crueldade.Harold BLOOM,… Continue lendo “O Tradicionalista e o GnĂłstico” – Rodrigo Menezes

“Self-Reliance or Mere Gnosticism” – Harold BLOOM

https://www.youtube.com/watch?v=b04zs6QHuWM I am to invite men drenched in Time to recover themselves and come out of time, and taste their native immortal air.– RALPH WALDO EMERSON https://www.youtube.com/watch?v=PLPazL-wcwM&t=4s If you seek yourself outside yourself, then you will encounter disaster, whether erotic or ideological. That must be why Ralph Waldo Emerson, in his  central  essay,  “Self-Reliance”  (1840),… Continue lendo “Self-Reliance or Mere Gnosticism” – Harold BLOOM

“O pĂȘndulo entre a filosofia fundacionista e a cultura literĂĄria: uma interpretação da filosofia de Richard Rorty a partir da teoria poĂ©tica de Harold Bloom” – Heraldo Aparecido Silva

RESUMO: O objetivo da tese Ă© analisar a filosofia de Richard Rorty a partir da teoria poĂ©tica de Harold Bloom. Na avaliação de Rorty, a Filosofia como atividade fundacionista deve ser substituĂ­da pela filosofia como atividade literĂĄria. Assim, tanto a epistemologia de tipo cartesiano quanto a filosofia analĂ­tica, compreendidas como atividades de fundamentação e legitimação… Continue lendo “O pĂȘndulo entre a filosofia fundacionista e a cultura literĂĄria: uma interpretação da filosofia de Richard Rorty a partir da teoria poĂ©tica de Harold Bloom” – Heraldo Aparecido Silva

InfluĂȘncia como Dis-Astrum, Melancolia e “Inferno Astral”

NĂŁo hĂĄ fim para a “influĂȘncia”, palavra que Shakespeare usou em dois sentidos diferentes mas relacionados. Pouco antes da segunda entrada do Espectro, na primeira cena de Hamlet, o erudito Horatio evoca o mundo de JĂșlio CĂ©sar de Shakespeare, onde: Pouco antes de tombar o poderosĂ­ssimo JĂșlio,As tumbas estavam desabitadas e os cadĂĄveres amortalhadosGuinchavam e… Continue lendo InfluĂȘncia como Dis-Astrum, Melancolia e “Inferno Astral”

Aforismos temĂĄticos: Nietzsche na obra de Cioran

Por ocasiĂŁo da prĂłxima live tertĂșlia — Cioran, leitor de Nietzsche — reunimos as ocorrĂȘncias de Nietzsche na obra de Cioran, desde seus primeiros textos em lĂ­ngua romena atĂ© os escritos franceses. Uma visĂŁo sinĂłptica das impressĂ”es causadas no autor romeno — ao longo do tempo, livro apĂłs livro — pelo filĂłsofo alemĂŁo, e das… Continue lendo Aforismos temĂĄticos: Nietzsche na obra de Cioran

“O ChĂŁo Sublime da Prosa: CrĂ­tica e EnsaĂ­smo em William Hazlitt” – Daniel Lago MONTEIRO

Remate de Males, Campinas-SP, v. 37, n. 2, pp. 763-784, jul./dez. 2017 “[JosĂ© Paulo Paes] considerava-se ‘um animal pedestre’e nĂŁo se julgava ‘com asas’ para a teorização”Vilma ArĂȘas – PAES, 2008 Apresentação Durante bastante tempo, boa parte do sĂ©culo XX, o nome de William Hazlitt (1778-1830) foi frequentemente lembrado, em seu prejuĂ­zo, ao lado do… Continue lendo “O ChĂŁo Sublime da Prosa: CrĂ­tica e EnsaĂ­smo em William Hazlitt” – Daniel Lago MONTEIRO

A angĂșstia da influĂȘncia – Harold BLOOM

A angĂșstia da influĂȘncia foi e continua sendo mal interpretado, de uma maneira medĂ­ocre. Qualquer leitor capaz deste livro, o que significa qualquer um com alguma sensibilidade literĂĄria e que nĂŁo seja comissĂĄrio nem ideĂłlogo, de esquerda ou direita, verĂĄ que influĂȘncia-angĂșstia nĂŁo se refere tanto aos precursores quanto Ă© uma angĂșstia realizada no e… Continue lendo A angĂșstia da influĂȘncia – Harold BLOOM