O mundo de ontem, o mundo de hoje – Stefan ZWEIG

A bem da verdade, admito que havia algo de grandioso, arrebatador e até de sedutor nesse primeiro movimento das massas, a que dificilmente alguém escapava. E, apesar de todo o ódio e toda a aversão à guerra, eu não gostaria que faltasse na minha vida a lembrança desses primeiros dias. Como nunca antes, milhares, centenas… Continue lendo O mundo de ontem, o mundo de hoje – Stefan ZWEIG

Publicidade

Ceticismo, fragmento e lucidez: “Emil Cioran. A Filosofia como Desfascinação e a Escritura como Terapia”, de Vincenzo Fiore [I] – Rodrigo MENEZES

FIORE, Vincenzo. Emil Cioran. La filosofia come de-fascinazione e la scrittura come terapia. Piazza Armerina/Enna: Nulla Die, 2018, 187 pp. A Itália é um dos países mais produtivos, atualmente, no que se refere à fortuna crítica cioraniana. Todo ano são publicados novos estudos, produções acadêmicas e editoriais, além de correspondências epistolares inéditas do próprio Cioran.[1]… Continue lendo Ceticismo, fragmento e lucidez: “Emil Cioran. A Filosofia como Desfascinação e a Escritura como Terapia”, de Vincenzo Fiore [I] – Rodrigo MENEZES

“O Homem-Massa e o Homem-Fragmento. Cioran em diálogo com Ortega y Gasset” – Rodrigo Menezes

O experimento homem fracassou. Encontra-se em um beco sem saída, enquanto que um não‑homem é mais: uma possibilidade.Olha fixamente nos olhos de um «semelhante»: que te leva a crer que não podes esperar mais nada? Todo homem é muito pouco…CIORAN, Amurgul gândurilor O seu lote foi o de realizar-se pela metade. Tudo nele era truncado; seu jeito de… Continue lendo “O Homem-Massa e o Homem-Fragmento. Cioran em diálogo com Ortega y Gasset” – Rodrigo Menezes