“Cioran y la condición humana: ser-con los animales” – Gustavo ROMERO

In Criterion Editrice Milano (ed.), Emil Cioran. Giornate di studio a Napoli. Milano: Criterion Editrice Milano. pp. 103-114 (2019). Resumen: Este trabajo se propone dos objetivos, uno descriptivo y otro propositivo. El descriptivo consiste en el análisis de la crítica que realiza E. Cioran, a lo largo de su obra, a la concepción humanista del ser… Continue lendo “Cioran y la condición humana: ser-con los animales” – Gustavo ROMERO

“La comunidad de los aullidos: Emil Cioran y la problemática de la animalidad” – Gustavo ROMERO

INSTANTES Y AZARES. Escrituras nietzscheanas, 21-22 (2018), ISSN 1666-2849, ISSN (en línea) 1853-2144, pp. 93-110. Aceptado 29-10-2018. Resumen: Este artículo presenta dos objetivos. El primero consiste en analizar dos problemáticas que se hallan conectadas en la obra de Cioran: la cuestión de la muerte como inmanente a la vida y la crítica a la noción… Continue lendo “La comunidad de los aullidos: Emil Cioran y la problemática de la animalidad” – Gustavo ROMERO

“Google, Big Data e o fim do livre arbítrio” (Yuval Noah Harari)

Esqueça esse papo de ouvir a si mesmo. Na era da informação, os algoritmos têm a resposta, escreve o historiador Yuval Noah Harari Do Financial Times, 26 de agosto de 2016 Durante milhares de anos os seres humanos acreditaram que a autoridade vinha dos deuses. Depois, na era moderna, o humanismo gradualmente transferiu a autoridade das… Continue lendo “Google, Big Data e o fim do livre arbítrio” (Yuval Noah Harari)

“Um estranho nos bastidores” (John Gray)

O santo padroeiro do humanismo é uma figura enigmática. Não temos como saber como era de fato Sócrates, já que a imagem que dele temos foi moldada por Platão. O fundador da filosofia ocidental pode ter sido um sofista que, em vez de aceitar que nada sabia, acreditava nada haver que valesse a pena saber;… Continue lendo “Um estranho nos bastidores” (John Gray)

“Ictiofídeos e liberais” (John Gray)

Em Da outra margem, coleção de ensaios e diálogos escrita por Alexander Herzen entre 1847 e 1851, o jornalista radical russo imagina um diálogo entre alguém que acredita na liberdade humana e um cético que julga os seres humanos por seu comportamento, e não pelos ideais professados. Para surpresa daquele que acredita, o cético cita… Continue lendo “Ictiofídeos e liberais” (John Gray)

“Desejo e Horror da Glória” avant la lettre (E.M. Cioran)

"Désir et horreur de la gloire" é um dos ensaios que compõem La chute dans le temps (1964), livro que sucede diretamente a História e utopia (1960) no qual este tema (tão "adâmico") já se encontra enunciado e problematizado, antecipando o que virá a seguir. Trata-se da dualidade-contradição -- inconciliável -- entre o desejo e… Continue lendo “Desejo e Horror da Glória” avant la lettre (E.M. Cioran)

Entrevista com John Gray: “O conhecimento não liberta o homem, apenas aumenta seu poder”

FRONTEIRAS DO PENSAMENTO por Thereza Venturoli, 14/12/2016 "A mensagem central de Cachorros de Palha não é de desesperança, mas de libertação. O que eu pretendo é sugerir ao leitor: leve sua vida da maneira mais bela e inteligente possível, pois o destino da Terra não está sobre seus ombros. Na verdade, foi assim que viveu a maioria dos milhões… Continue lendo Entrevista com John Gray: “O conhecimento não liberta o homem, apenas aumenta seu poder”

“Cachorros de palha: 10 anos” – Uma entrevista com John Gray

Por Cássio Leite Vieira, Ciência Hoje, vol. 50, no. 298, novembro de 2012 [PDF] Cachorros de palha, livro que comemora 10 anos de lançamento, foi – e continuará sendo – polêmico. Seu autor, o filósofo político britânico John Gray, ex-catedrático de pensamento europeu na London School of Economics, foi – e continuará sendo – tachado… Continue lendo “Cachorros de palha: 10 anos” – Uma entrevista com John Gray

“Uma nova Idade Média” (Nikolai Berdiaev)

A DIVISÃO CLÁSSICA da história em antiga, medieval e moderna cairá breve em desuso; será excluída de nossos livros de estudos. A história contemporânea chega ao termo, e se inicia uma era desconhecida, à qual será preciso dar um nome. Saímos, na verdade, do quadro da história. É um fato, este, de que tivemos a… Continue lendo “Uma nova Idade Média” (Nikolai Berdiaev)