“Em honra da loucura” – CIORAN

“Better I were distract:So should my thoughts be sever’d from my griefs.” Exclamação que arranca de Gloster a loucura do rei Lear
 Para separar-nos de nossos desgostos, nosso Ășltimo recurso Ă© o delĂ­rio; submetidos a seus desvios, nĂŁo reencontramos mais nossas afliçÔes: paralelos a nossas dores e Ă  margem de nossas tristezas, divagamos em uma… Continue lendo “Em honra da loucura” – CIORAN

“«DialĂ©tica da indolĂȘncia»: heresia e idiotismo contra a tirania da positividade tĂłxica” – Rodrigo Menezes

Quis suprimir em mim as razĂ”es que os homens invocam para existir e para agir. Quis tornar-me indizivelmente normal – e eis-me aqui, no embrutecimento, no mesmo plano que os idiotas e tĂŁo vazio como eles.CIORAN, BreviĂĄrio de decomposição, p. 62 Ser mais inutilizĂĄvel que um santo...CIORAN, Silogismos da amargura, p. 75 Cioran e Byung-Chul… Continue lendo “«DialĂ©tica da indolĂȘncia»: heresia e idiotismo contra a tirania da positividade tĂłxica” – Rodrigo Menezes

Idiotismo – Byung-Chul HAN

Em seu curso de 1980 sobre Espinosa, Deleuze observa o seguinte: Literalmente, eu diria que se fazem de idiotas. Fazer-se de idiota. Fazer-se de idiota serĂĄ sempre uma função da filosofia.[1] Desde o inĂ­cio, a filosofia estĂĄ intimamente ligada ao idiotismo. Todo filĂłsofo que produz um novo idioma, uma nova linguagem, um novo pensamento, terĂĄ… Continue lendo Idiotismo – Byung-Chul HAN