“O Suplício (I)” – Georges BATAILLE

Há nas coisas divinas uma transparência tão grande que escorregamos para o fundo iluminado do riso mesmo a partir de intenções opacas. Vivo de experiência sensível e não de explicação lógica. Tenho do divino uma experiência tão maluca que rirão de mim se falar dela. Entro num beco sem saída. Nele, toda possibilidade se esgota,… Continue lendo “O Suplício (I)” – Georges BATAILLE

“A luta contra as evidências (2)” (Lev Chestov)

Surgunt indocti et rapiunt coelum! Para arrebatar o céu, é preciso renunciar ao saber, aos princípios primeiros, que bebemos no leite materno. E mais. É preciso, conforme tivemos ocasião de nos convencermos ao ler as frases anteriormente citadas, renunciar na generalidade às ideias, quer dizer, pôr em dúvida o seu maravilhoso poder de transmutar em… Continue lendo “A luta contra as evidências (2)” (Lev Chestov)