“La vie en prose”: a prosa como gênero ideal para uma comunhão de almas dilaceradas

Au lecteur,C'est ici un livre de bonne foi, lecteur. Il t'avertit, dés l'entrée, que je ne m'y suis proposé aucune fin, que domestique et privée. Je n'y ai eu nulle considération de ton service, ni de ma gloire. Mes forces ne sont pas capables d'un tel dessein. Je l'ai voué à la commodité particulière de… Continue lendo “La vie en prose”: a prosa como gênero ideal para uma comunhão de almas dilaceradas

“Cioran: Solidão, Êxtase, Solidariedade” – Rodrigo MENEZES

Um comentário que sempre me chamou a atenção na entrevista de Cioran a Sylvie Jaudeau, e que me parece uma chave de leitura ao essencial do pensamento insone e errático de Cioran, é o seguinte: "A única experiência profunda é a que se realiza na solidão. Aquela que resulta de um contágio permanece superficial --… Continue lendo “Cioran: Solidão, Êxtase, Solidariedade” – Rodrigo MENEZES

“O Homem-Massa e o Homem-Fragmento. Cioran em diálogo com Ortega y Gasset” – Rodrigo Menezes

O experimento homem fracassou. Encontra-se em um beco sem saída, enquanto que um não‑homem é mais: uma possibilidade.Olha fixamente nos olhos de um «semelhante»: que te leva a crer que não podes esperar mais nada? Todo homem é muito pouco…CIORAN, Amurgul gândurilor O seu lote foi o de realizar-se pela metade. Tudo nele era truncado; seu jeito de… Continue lendo “O Homem-Massa e o Homem-Fragmento. Cioran em diálogo com Ortega y Gasset” – Rodrigo Menezes

“Cioran, lecteur de Spengler” (Eugène Van Itterbeek)

CAHIERS EMIL CIORAN. Ed. Universitatii "Lucian Blaga"Sibiu, Editions Les Sept Dormants, Leuven, 2002. Il est difficile de dire avec precision en quelleanee Emil Cioran a lu Der Untergang des Abendlandes d'Oswald Spengler, sans doute au debut des années '30, lorsqu'il fut étudiant en philosophie à l'Université de Bucarest. D'où vient son intérêt pour Spengler ? En… Continue lendo “Cioran, lecteur de Spengler” (Eugène Van Itterbeek)

“Indivíduo e cultura” – CIORAN

"Quase ninguém mais fala de sua própria experiência, de suas penas e de suas angústias pessoais, todo mundo fala das complicações de uma cultura que não lhes fornece um sentido preciso nem uma fórmula de equilíbrio."Cioran, "Indivíduo e cultura" (1932) Este texto, escrito por um jovem Cioran aos 21 anos de idade, e publicado em… Continue lendo “Indivíduo e cultura” – CIORAN