“Magia e fatalidade” – CIORAN

É penoso para mim imaginar a alegria daqueles que sĂŁo dotados de uma sensibilidade mĂĄgica - esses indivĂ­duos que sentem tudo em seu poder, para quem nenhuma resistĂȘncia Ă© irredutĂ­vel nem qualquer obstĂĄculo insuperĂĄvel. A magia supĂ”e uma comunhĂŁo tĂŁo estreita com a existĂȘncia que toda manifestação subjetiva compara-se a uma pulsação da vida. Ela… Continue lendo “Magia e fatalidade” – CIORAN

Publicidade

“Necessidade e ContingĂȘncia, o ‘Irreparavelmente JĂĄ Sabido Desde Sempre’ e o ImponderĂĄvel do NĂŁo-Saber Essencial (Rodrigo InĂĄcio R. SĂĄ Menezes)

SĂł se suicidam os otimistas, os otimistas que nĂŁo conseguem mais sĂȘ-lo. Os outros, nĂŁo tendo nenhuma razĂŁo para viver, por que a teriam para morrer? (Silogismos da amargura) Poucas sĂŁo as filosofias capazes de equilibrar, numa rara harmonia na tensĂŁo, os princĂ­pios ontolĂłgicos antinĂŽmicos da necessidade e da contingĂȘncia; ora necessidade, ora contingĂȘncia, ou… Continue lendo “Necessidade e ContingĂȘncia, o ‘Irreparavelmente JĂĄ Sabido Desde Sempre’ e o ImponderĂĄvel do NĂŁo-Saber Essencial (Rodrigo InĂĄcio R. SĂĄ Menezes)