“John Keats and ‘negative capability’” – Stephen HEBRON

BRITISH LIBRARY > Discovering Literature > Romantics and Victorians Stephen Hebron explores Keats’s understanding of negative capability, a concept which prizes intuition and uncertainty above reason and knowledge. In December 1817 John Keats was returning from the Christmas pantomime with his friends Charles Wentworth Dilke and Charles Brown. On the walk home, he later told his brothers… Continue lendo “John Keats and ‘negative capability’” – Stephen HEBRON

John Keats: documentary (2014)

John Keats (31 October 1795 – 23 February 1821) was an English poet of the second generation of Romantic poets, with Lord Byron and Percy Bysshe Shelley, although his poems had been in publication for less than four years when he died of tuberculosis at the age of 25. https://www.youtube.com/watch?v=xtsZ79kt4Iw They were indifferently received in… Continue lendo John Keats: documentary (2014)

Cioran e Keats: o imperativo da intensidade e poéticas do grotesco

Segundo o tradutor Péricles Eugênio da Silva Ramos, o princípio da intensidade desempenha um papel fundamental na poética de John Keats (1795-1821). Em 21 de dezembro de 1817, o poeta inglês escreveria, em carta ao irmão George, que "a excelência de toda arte está em sua intensidade, capaz de fazer o desagradável ('all desagreeables') evaporar… Continue lendo Cioran e Keats: o imperativo da intensidade e poéticas do grotesco

Iluminismo & Romantismo – Harold BLOOM

A NOSSA DEFINIÇÃO CLÁSSICA daquilo que o sublime literário reivindica pode ser encontrada nas sentenças iniciais de The romantic sublime O sublime romântico de Thomas Weiskel: A alegação essencial do sublime é que o homem pode, no sentimento e na linguagem, transcender o humano. O que se encontra além do humano, se é que algo… Continue lendo Iluminismo & Romantismo – Harold BLOOM

Ceticismo (Charles Landesman)

Prefácio Ideias céticas podem ser encontradas em muitos textos da filosofia grega antiga; elas reaparecem na filosofia moderna em novas versões e continuam a ter influência até os tempos atuais. Empregaram-se argumentos céticos para corroborar visões filosóficas que, embora não totalmente céticas, tendem para essa direção: termos como relativismo, convencionalismo, construtivismo, anti-realismo, pragmatismo e subjetivismo… Continue lendo Ceticismo (Charles Landesman)